Bolsonaro sobrevoa região atingida por rompimento de barragem em Minas

Equipes dos bombeiros trabalham no resgate após desastre em Brumadinho — Foto: Reprodução/Corpo de Bombeiros

O presidente Jair Bolsonaro embarcou na manhã deste sábado (26), às 8h30, em direção a Minas Gerais para sobrevoar a região atingida pelo rompimento de uma barragem da mineradora Vale, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. A aeronave que leva a comitiva presidencial partiu da base aérea de Brasília e deve desembarcar na capital mineira por volta das 9h30.

A barragem rompeu no início da tarde de sexta (25), levando uma enxurada de lama à região. De acordo com os Bombeiros, Nove pessoas morreram e até 300 estão desaparecidas.

Equipes dos bombeiros trabalham no resgate após desastre em Brumadinho — Foto: Reprodução/Corpo de Bombeiros

Acompanham o presidente na viagem a Belo Horizonte os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Azevedo e Silva (Defesa), Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo) e o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros.

A assessoria da Presidência chegou a informar que a primeira-dama, Michele Bolsonaro, acompanharia o marido na viagem para Minas Gerais para sobrevoar a região atingida pela onda de lama, entretanto, na manhã deste sábado o Planalto disse que ela não viajaria com a comitiva presidencial.

Bolsonaro anunciou ainda na sexta a viagem a Minas Gerais para reavaliar os danos provocados pela tragédia e “tomar todas as medidas cabíveis”.

Segundo a assessoria da Presidência, Bolsonaro pousará em Belo Horizonte, onde se encontrará com o governador mineiro Romeu Zema. A previsão é de que Bolsonaro e Zema façam o sobrevoo na região da tragédia em um helicóptero.

Segundo o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, até a noite de sexta não estava decidido se o presidente desceria em Brumadinho.

O governo avalia a possibilidade de o presidente conceder uma entrevista em Belo Horizonte antes de retornar a Brasília. O retorno de Bolsonaro para a capital federal está previsto para o início da tarde deste sábado.

Gabinete de crise – Após o rompimento da barragem de Brumadinho, o governo federal anunciou a criação de gabinetes de crise para monitorar os desdobramentos da tragédia e definir as medidas a serem adotadas.

No mesmo dia em que a barragem rompeu, os ministros Ricardo Sales (Meio Ambiente) e Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional) viajaram para Minas Gerais. A prioridade de Canuto, segundo Bolsonaro, será “o socorro e assistência à população afetada”.

O Ministério da Defesa também se envolveu na resposta do governo à tragédia. A pasta determinou que a 4ª Região Militar coordene as ações das Forças Armadas em apoio à Defesa Civil de Minas.

O governo federal disponibilizou três helicópteros de médio porte, equipados e com integrantes da Marinha, Exército e Aeronáutica, para atuar em operações de transporte, busca e resgate. Os militares permanecerão à disposição das operações na região atingida.

Cirurgia
No domingo (27), Jair Bolsonaro viajará para São Paulo. O presidente realizará exames preparatórios para a cirurgia de retirada de uma bolsa de colostomia que ele carrega junto ao corpo desde que foi vítima de um atentado à faca durante a campanha eleitoral do ano passado, em Juiz de Fora (MG).

Fonte: Portal G1 / Minas Gerais. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *