Villas Bôas vai ficar no governo, ligado ao GSI.

O Presidente Jair Bolsonaro participa da solenidade de passagem de Comando do Exército do general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas ao general Edson Leal Pujol. (Valter Campanato/Agência Brasil)

CLÁUDIO HUMBERTO

O general Eduardo Villas Bôas, que transmitiu o comando do Exercito Brasileiro nesta sexta-feira (11), aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para permanecer num cargo da nova administração, como esta coluna adiantou com exclusividade ontem. O general, que assumiu o Exército em 2015, vai integrar um gabinete ligado ao GSI do general Augusto Heleno, que servirá como uma espécie de “Estado Maior”, um conselho da República de conselheiros do presidente da República.

GABINETE DE CONSELHEIROS
Apesar de ainda não existir oficialmente, o gabinete de conselheiros é uma ideia que circula entre membros do governo desde a campanha.

INTEGRANTES
Militares além de Heleno e Villas Bôas devem integrar o conselho; o ministro general Santos Cruz e o vice-presidente Hamilton Mourão.

CONVITE PESSOAL
Interlocutores confirmam que o convite foi feito pelo próprio presidente da República, Jair Bolsonaro. E o grupo será seletíssimo.

RECUPERAÇÃO DA IMAGEM
O general gostaria de posição onde possa ajudar a redimir a imagem dos militares, “muito prejudicada pelo PT”, dizem fontes próximas.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas