Salvador terá sessões de filmes seguidas de debates com artistas do Festival Varilux

Pela primeira vez, o Festival Varilux de Cinema Francês, que acontece entre 7 e 20 de junho, traz para Salvador artistas de sua delegação. Antes de participarem das aberturas do evento em São Paulo (dia 6) e no Rio de Janeiro (dia 7), parte da delegação estará na capital baiana interagindo com o público em sessões seguidas de debates sobre seus filmes nos dias 2 e 3 de junho, e em uma pré-estreia para convidados no Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha na noite do dia 4. Na cidade também haverá um encontro de profissionais no dia 4, uma mostra de filmes de Realidade Virtual e uma masterclass ministrada pelo cineasta e especialista da RV Fouzi Louahem.

Salvador recebe seis integrantes da delegação: o ator Finnegan Oldfield, do filme “Marvin”; o diretor Nabil Ayouch e a atriz Maryam Touzani, do longa “Primavera em Casablanca”; o diretor Fabien Gorgeart, de “O Poder de Diane” e o diretor Yannick Renier e a atriz Zita Hanrot, do filme “Carnívoras”. Eles conversam com o público nos dias 2 e 3 de junho, às 18h, após a sessão de seus filmes nos cinemas Saladearte Cine Paseo e Saladearte Cinema da UFBA. Os ingressos para a sessões já estão à venda.

PROGRAMAÇÃO

Sábado, dia 2/6
“MARVIN” – ENCONTRO COM O ATOR FINNEGAN OLDFIELD
SALADEARTE CINE PASEO, ÀS 18H

FINNEGAN OLDFIELD – ATOR DE “MARVIN”
Em 2003, aos 12 anos, Finnegan Oldfield dá seus primeiros passos na tela, no filme para televisão L’Île Atlantique de Gérard Mordillat. Alguns anos depois, consegue dois papéis pequenos no cinema, em Entre os Muros da Prisão de 2008 e Ninguém Além de Você de 2011. É nesse mesmo ano que sua carreira deslancha, quando lhe é oferecido o papel de um adolescente rebelde que se vê envolvido numa sombria história de pedofilia no suspense Mineurs 27.

A partir daí, as propostas se multiplicam com papéis coadjuvantes em filmes tão diversos quanto A Marcha, Week-ends, Geronimo ou ainda Nem o Céu nem a Terra de 2014. O ano 2015 sinaliza uma grande virada em sua carreira com o original Os Cowboys, na qual sua incrível atuação faz com que ele seja indicado ao César de Melhor Ator Revelação 2016.

Após esse sucesso, Finnegan privilegia papéis dramáticos e faz escolhas ousadas. Ele atua, então, diante da câmera de Eva Husson, Bang Gang, de Bertrand Bonello (Nocturama), de Katell Quillévéré (Coração e Alma) e de Stéphane Brizé (A Vida de Uma Mulher). Em 2017, após ter feito parte da distribuição de Promessa ao amanhecer, de Eric Barbier (apresentado no Festival Varilux 2018), ele tem o papel-título de Marvin ou la Belle Education, inspirado no livro autobiográfico En finir avec Eddy Bellegueule, de Edouard Louis. O papel de Marvin rende-lhe sua segunda indicação ao César de Melhor Ator Revelação.

MARVIN
Marvin/ La belle éducation
De Anne Fontaine
Com Finnegan Oldfield, Grégory Gadebois, Vincent Macaigne
2017 – Comédia dramática – 1h53
Distribuição no Brasil: Mares Filmes

Sinopse:
Marvin Bijou está em fuga: Primeiro de seu vilarejo em Vosges, depois, da família, da tirania do pai, da renúncia da mãe e, por último, da intolerância, rejeição, humilhações as quais era exposto por tudo que faziam dele um rapaz “diferente”. Fora de lá, ele descobre o teatro e aliados que, finalmente, vão permitir que sua história seja contada por ele mesmo.

Sábado, dia 2/6
“PRIMAVERA EM CASABLANCA”
ENCONTRO COM O DIRETOR NABIL AYOUCH E A ATRIZ MARYAM TOUZANI
SALADEARTE CINEMA DA UFBA, ÀS 18H
NABIL AYOUCH – DIRETOR DE “PRIMAVERA EM CASABLANCA”

Após ter feito três curtas-metragens muito premiados em diversos festivais internacionais, Nabil Ayouch dirige, em 1997, seu primeiro longa-metragem, Mektoub, que faz um enorme sucesso no Marrocos e será o primeiro filme a representar o país na Academia do Oscar.

Dirige seu segundo filme, As Ruas de Casablanca, em 2000. Uma história comovente de crianças sem-teto exposta à violência das ruas. Com esse novo longa-metragem, Ayouch representa, mais uma vez, o Marrocos no Oscar. Após esses sucessos, segue com Une minute de soleil en moins, em 2003.

O cineasta retorna, quatro anos depois, ao cinema com o filme, Tudo que Lola Quiser, no qual acompanha a trajetória de uma dançarina oriental. Depois, faz um documentário – My Land, que dá voz aos exilados palestinos, expulsos de seus próprios vilarejos quando da criação do Estado de Israel, em 1948.

Nabil Ayouch é novamente embaixador do Marrocos no Oscar com Os Cavalos de Deus, em 2012, que mostra o tema da radicalização religiosa de um jovem marroquino e seu impacto sobre a família. Depois, Nabil dirige seu sétimo longa-metragem, Muito Amadas, sobre as prostitutas de Marrakesh. Apesar de um reconhecimento internacional, participando, inclusive, de uma seleção para o Festival de Cannes na Quinzena dos Realizadores, infelizmente o filme é censurado no Marrocos.

Seu último filme, Razzia, tem como set sua cidade natal, Casablanca, na qual se debatem quatro personagens com destino cruzados que tentam existir no seio de uma sociedade que os sufoca, revelando um panorama complexo da realidade marroquina.

MARYAM TOUZANI – ATRIZ E ROTEIRISTA DE “PRIMAVERA EM CASABLANCA”

Nascida em 1980 em Tanger (Marrocos), Maryam Touzani é roteirista, cineasta e atriz. Assinou e dirigiu dois curtas-metragens, Quand ils dorment (2012) e Aya wal bahr/Aya va à la plage (2015) e escreveu em parceria o roteiro do filme dirigido por Nabil Ayouch, Razzia, no qual interpreta uma das protagonistas.

PRIMAVERA EM CASABLANCA
Razzia
De Nabil Ayouch
Com Maryam Touzani, Arieh Worthalter, Abdelilah Rachid
2018 – Drama – 1h59
Distribuição no Brasil: California Filmes

Sinopse:
Em Casablanca, entre o passado e o presente, cinco destinos estão inconscientemente interligados. Diferentes rostos, diferentes trajetórias, diferentes lutas, mas a mesma busca pela liberdade. E o som de uma revolta que cresce.

Domingo, dia 3/6
O PODER DE DIANE – ENCONTRO COM O DIRETOR FABIEN GORGEART
SALADEARTE CINE PASEO, ÀS 18H

Notícias Relacionadas