Bahia massacra o Atlético-PR com goleada de 6 a 2 na sua volta à Série A

O Bahia fez uma jogo que há muito sua torcida não assistia, na sua reestreia na elite do Campeonato Brasileiro. O tricolor baiano, em tarde inspirada neste domingo (14), massacrou o Atlético-PR na Arena Fonte Nova, impondo uma goleada histórica de 6 a 2, de virada.

O atacante Edigar Junio marcou contra o ex-clube e fez uma boa partida. (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação)
O atacante Edigar Junio marcou contra o ex-clube e fez uma boa partida. (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação)

O jogo começou e o tricolor tomou a iniciativa da partida. Aos 8, após ajeitada de Zé Rafael, o volante Juninho arriscou e foi travado pela defesa. Depois, em duas tentativas que bateram nos adversários, Edigar Junio e Régis também não conseguiram tirar o zero do placar.

E foi o Atlético-PR quem abriu o placar. Guilherme bateu da entrada da área, no canto esquerdo, sem chances para Jean. O gol não abateu o time baiano, que continuou em cima. O empate aconteceu aos 33 minutos. Juninho cobrou escanteio e Tiago, de cabeça, mandou no ângulo direito: 1×1.

O time visitante, aos 38m, ficou novamente na frente do marcador. O zagueiro Marcão, após falta, chutou e Jean salvou, porém, na sobra, o defensor estufou a rede. O 2 a 1 no placar durou apenas dois minutos. Zé Rafael invadiu e tocou por cima do goleiro.

Daí adiante foram três contra-ataque e três gols do Bahia. Na entrada da área, aos 42, Régis finalizou com muita categoria, no cantinho, e Weverton não conseguiu alcançar. Dois minutos depois, em jogada construída por Edson, o atacante Edigar Junio marcou contra o ex-clube. Ele entrou na área e mandou um chute cruzado, no canto direito. Antes do intervalo, para delírio da torcida, o meia Régis marcou o quinto. O camisa 20 disparou, ganhou do zagueiro na corrida e, de perna direita, tocou por cima do goleiro atleticano: Bahia 5 a 2.

No segundo tempo, o árbitro autorizou a saída de bola e o Bahia, com menos de um minuto, esteve próximo do sexto gol. Allione, de calcanhar, tocou para Edigar Junio, que imediatamente viu a passagem de Zé Rafael e tocou. O camisa 18 bateu forte e carimbou a rede pelo lado de fora.

O meia Régis, reclamando de dores, permaneceu em campo por mais 10 minutos e foi substituído por Diego Rosa. Aos 25 minutos, Allione cobrou escanteio e o volante Edson, de cabeça, exigiu uma grande intervenção do arqueiro adversário. O camisa 19, dois minutos depois, voltaria a levar perigo, no entanto, de maneira mais completa: com um belo gol. Juninho iniciou o lance, tocou para Eduardo que tabelou com Allione. O argentino cruzou rasteiro para área e Edson, de esquerda, fez Bahia 6 a 2.

Notícias Relacionadas