Alheio à cirurgia, governo prepara visita a Trump.

A visita de Bolsonaro está restrita a Washington, mas há possibilidade de evento em Nova York com empresários brasileiros e americanos. (Foto: Agência Brasil)

CLÁUDIO HUMBERTO

Sem orientação em contrário, diplomatas brasileiros continuam empenhados na construção da agenda da visita oficial do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, nos dias 18, 19 e 20, a convite do presidente Donald Trump. Isso indica que, apesar da apreensão causada na recuperação de Bolsonaro, o Planalto conta com o seu retorno ao trabalho no prazo estimado antes da sua nova cirurgia.

REUNIÃO DE TRABALHO
Além de encontro para fotos diante da lareira, os dois presidentes terão reunião de trabalho na Casa Branca.

ESTICADA A NY
A visita de Bolsonaro está restrita a Washington, mas há possibilidade de evento em Nova York com empresários brasileiros e americanos.

VISITA AO CHILE
Após a visita a Washington, Bolsonaro fará um pit-stop em Brasília e segue para outra viagem: visitará Santiago nos dias 22 e 23 de março.

SINO-BRASILEIROS
O discurso de governistas contra a China, nosso grande parceiro comercial, deixa à beira de um ataque de nervos muitos brasileiros que, sem conseguir concorrer no Brasil contra chineses, montaram seus negócios por lá e hoje exportam seus produtos… para o Brasil.

VOZ DO ENTULHO
O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), convicto liberal, tem horror à obrigatoriedade da chapa branca “A Voz do Brasil”, entulho autoritário que sobrevive desde a ditadura Vargas. Vai lutar por sua extinção.

ADIANTANDO O SERVIÇO
Líderes partidários ligados à base do governo acham que o País tem pressa, por isso querem os debates sobre a reforma da Previdência ocorrendo simultaneamente no Senado e na Câmara.

FACA NA BOTA
No elevador, Bia Kicis (PS-DF) cumprimentou educadamente a Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que respondeu provocando: “Meninas vestem azul!”, disse, referindo-se à cor da roupa da bolsonarista. “Vestem a cor que quiserem” – reagiu Kicis – “mas não mexam nas nossas crianças!”

R$11 BILHÕES
O governo federal calcula que somente em dezembro foram gastos R$10,9 bilhões apenas com recursos humanos, ou sejam, salários, aposentadorias, pensões. Já em eficiência no setor público, nada.

TEMPOS SOMBRIOS
O chanceler brasileiro Ernesto Araújo fez alerta para as consequências da manutenção de Nicolás Maduro no comando da Venezuela. “Se a esquerda conseguir a perpetuação da tirania, o que não conseguirá?”

IMPERDÍVEL
Estreia nesta terça (12), no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, a Mostra Scorsese. São 33 documentários, longas e curtas do diretor Martin Scorsese, um dos mais brilhantes cineastas da História.

PENSANDO BEM…
…o ano de 2019 continua esperando pelo presidente Bolsonaro para finalmente começar.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *