Promoção não é absurda; Absurda é mantê-la.

Mourão diz que filho Roussel Nourão  promovido no BB tem ‘mérito’ e foi ‘perseguido’ em outras gestões. (Foto: Diário do Poder/Reprodução)

CLÁUDIO HUMBERTO

A promoção mais parece ter prejudicado que ajudado a carreira do filho do vice-presidente Hamilton Mourão no Banco do Brasil. Ainda não está claro se o “upgrade” foi produto de carteirada, de puxa-saquismo ou se a ideia era desgastar o novo governo. Rossel Mourão trabalha do BB há 19 anos. Era Assessor Empresarial e pulou para Assessor Especial da presidência do banco. A promoção não é exatamente absurda. Absurdo é mantê-la, desgastando o governo. Bolsonaro não foi eleito para isso.

NÃO GOSTOU
O presidente Jair Bolsonaro não gostou nada da nomeação. E deixou clara a sua insatisfação no expediente da tarde desta terça, no Planalto.

TODOS SABIAM
Nem mesmo o Palácio do Planalto pode alegar que não sabia da promoção de Rossel: só foi sacramentada apos o “OK” da Casa Civil.

MÃO AMIGA
A promoção de Rossel Mourão foi aprovada no conselho diretor do BB, mas sacramentada pelo seu novo presidente, Rubem Novaes.

NÃO É MOLEZA
A nova posição do filho de Mourão é vistosa, mas não uma moleza: seu ocupante fica sujeito a todo tipo de faniquitos internos e externos do BB.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *