Avião cai no Pará cinco minutos após decolar e mata três pessoas

Belém – As três vítimas do acidente com o monomotor Cesna, prefixo PT-DDG, da empresa de táxi aéreo Dourado, serão periciadas na manhã desta quarta-feira (4), por uma equipe de peritos médicos legistas e peritos odontólogos. A equipe definirá o tipo de material a ser coletado para confirmar a identificação das vítimas por meio de DNA. A aeronave decolou no aeroporto Brigadeiro Protásio de Oliveira às 14h45 com destino a Breves e caiu após cinco minutos.

Os familiares também serão recebidos pelo diretor geral do Centro Renato Chaves, Orlando Salgado, que informará os tipos de procedimentos a serem tomados pela perícia para providenciar a liberação dos corpos no menor tempo possível. Os corpos estão altamente carbonizados, o que impossibilita a identificação visual. Os cadáveres chegaram ao Instituto Médico Legal (IML) às 18 horas.

Os mortos são Joaquim Calisto, comandante da aeronave, e os seguranças Rosivaldo Rabelo de Castro e Anderson Oliveira Conceição, ambos empregados da transportadora de valores Prosegur. O avião transportava certa quantia de dinheiro. As informações foram repassadas pelo capitão Renato Cunha, da Polícia Militar. “As causas do acidente ainda serão investigadas pela perícia, mas a PM está no local para dar todo o suporte necessário às buscas”, afirmou.

O monomotor caiu na tarde desta terça-feira (3), próximo à estrada da Ceasa, na Região Metropolitana de Belém (RMB). Testemunhas contaram que, antes do acidente, a aeronave sobrevoou baixo e apresentou indícios de falha. (Diário Online/Belém)

Notícias Relacionadas