Enviado especial à Síria diz que nascerá novo país após conflito

Renata Giraldi
Agência Brasil

Damasco – O enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe à Síria, Lakdar Brahimi, disse ontem (29) que após 20 meses de conflito nascerá uma “nova Síria”. Ao conversar com a imprensa, depois de se reunir com o Conselho de Segurança das Nações Unidas, em Nova York, Brahimi sinalizou que há possibilidade de o presidente sírio, Bashar Al Assad, renunciar.

Brahimi não mencionou o nome de Assad, mas perguntado sobre uma eventual mudança de regime para encerrar o conflito, que começou em março de 2011, ele indicou que o desejo do povo deve ser atendido. “É muito, muito claro que o povo sírio quer a mudança, uma verdadeira mudança, não uma mudança superficial”, disse.

Para o enviado especial, as mudanças devem gerar transformações reais. “A nova Síria não vai se assemelhar à Síria atual”, acrescentou. “[Haverá] evolução para uma nova Síria” e são “os sírios que decidem o regime que querem”. Segundo Brahimi, há “urgência absoluta” de um cessar-fogo no país.

O enviado especial lembrou que um cessar-fogo não pode vigorar se não for vigiado de forma intensiva. “Creio que, para isso, será necessária uma missão de manutenção da paz”.

Notícias Relacionadas