O verdadeiro motivo do ataque à professora Ana Tereza

VANESSA MATOS

Não posso me calar frente à execração pública da nossa combativa companheira do comando de greve Ana Tereza. Desde o início da legitima greve dos/as professores/as do Estado da Bahia, que somos perversamente atacados pelos órgãos de imprensa que tentam a todo custo colocar a opinião pública contra o movimento.

No entanto, nunca imaginei que conseguiriam chegar tão baixo com o sensacionalismo barato e o oportunismo vulgar em que foi tratada a situação. Estou me referindo a duas mulheres negras e trabalhadoras; a primeira, liderança de um movimento paredista que colocou em cheque o governo do PT na Bahia e a segunda, uma funcionária provavelmente terceirizada da AL-BA onde os professores em greve ocupavam há mais de 3 meses.

Nos últimos dias da ocupação nos deparamos com uma guerra psicológica sob o comando do presidente da casa o Sr. Marcelo Nilo: energia cortada, banheiros guardados por policiais, acesso restrito ao prédio, e ações por parte de alguns funcionários/as que nos levam a acreditar que tudo havia sido previamente combinado. Foi criado um cenário de guerra, com o único objetivo de nos atingir num momento de fragilidade frente às adversas condições de sobrevivência na AL-BA.

É revoltante perceber a que ponto os três poderes chegaram para fazer valer o projeto nefasto de poder do Sr. Wagner e Cia em nosso estado. O repudio a tal modelo é geral, o movimento dos professores foi abraçado por toda a sociedade. Assim sendo, o ataque cruel à professora Ana Tereza é um ataque a toda a categoria, ao movimento e à sociedade que não aceita mais as arbitrariedades cometidas por esse desgoverno.

Usar uma trabalhadora para tentar ruir com a vida de uma educadora é um crime, julgá-la sem defesa é sujo e cruel, publicizar a sua imagem nos meios de comunicação é atentado à sua vida, mentir e manipular em nome de justificar ações inescrupulosas contra os/as trabalhadores/as não vai ficar sem resposta.

As urnas os esperam e a categoria, assim como a sociedade em geral, vai dar a resposta. BASTA! Exigimos um novo modelo de governo para a Bahia e para o Brasil!

* Vanessa Matos é professora da rede estadual de ensino

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. Ju

    Em quase quatro meses não encontraram NADA CONCRETO para desqualificar a forma como está sendo construída essa greve. Então inventam, criam factoides, usam rios de dinheiro na imprensa sensacionalista e nas mídias tradicionais, mas não conseguem que a população se vire contra os professores. Porque será??? A verdade está patente: o governo está massacrando os professores e eles resistem com a bandeira na mão. Lutam pelo cumprimento de uma lei federal, a Lei Nacional do Piso…Deixar esses cidadãos voltarem as suas atividades sem um desfecho legal, sob os pontos de vista moral e constitucional é ACEITAR A DITADURA NA BAHIA.

Comentários estão suspensos