Temer ameaçou aumentos para atender STF

Presidente Michel Temer (Foto: Presidência da República/Divulgação))

CLÁUDIO HUMBERTO

Na reunião do Palácio Alvorada com os ministros Dias Toffoli e Luiz Fux, o presidente Michel Temer disse que havia provocado o encontro para informar que apoiava o aumento de 16,3% do Supremo Tribunal Federal (STF), e até cancelaria reajustes de diversas categorias, como Polícia Federal. Só precisava que os ministros “segurassem” as ações para obrigar o governo a pagar os aumentos cancelados. Os ministros “piscaram”. E perceberam que estavam numa mesa de negociação.

NEGOCIADOR NATO
Toffoli e Fux, que assumirão a presidência e vice do STF, lembraram então que Temer é descendente de libaneses, mestres da negociação.

IMPOSSÍVEL GARANTIR
Os ministros não poderiam assumir o compromisso de barrar liminares contra o adiamento dos reajustes, por isso tiveram de negociar.

‘BEM-BOLADO’
Questão incômoda, o auxílio-moradia era outra prioridade para Toffoli e Fux. Resolver isso e garantir o reajuste acabou num “bem bolado”.

ACORDO INÓCUO
Mas, feitas as contas, exatamente uma semana após o acordo, Temer recuou. Vai dar os 16,3% do STF e adiar os demais aumentos.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas