Obras do BRT provocam alterações em pontos de ônibus na Av. ACM

Em função das obras de implantação do trecho um do projeto do BRT, a Prefeitura informa que serão necessárias alterações em pontos de ônibus e no fluxo de pedestres entre as proximidades da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e da Comercial Ramos, nas vias principal e marginal da Avenida ACM, no sentido Cidade Jardim. Essas alterações começam a valer a partir de 1º de agosto, e terão um impacto mais significativo na rotina de quem circula a pé. As mudanças, no entanto, são fundamentais para garantir a segurança da população durante o período de obras, que envolvem a construção de elevados, viadutos, ciclovia e corredores exclusivos de tráfego.

O projeto do BRT vai promover avanços na mobilidade tanto para quem anda de transporte público quanto de carro, de bicicleta ou mesmo a pé, solucionando problemas de engarrafamento e oferecendo mais qualidade de vida, na medida em que as pessoas irão perder menos tempo no trânsito nessa que é a área mais movimentada da cidade. Ou seja, os benefícios no futuro próximo serão consideravelmente maiores do que os eventuais transtornos do presente. Algumas melhorias, por sinal, já serão notadas mesmo durante o período de obras.

Intervenções, que envolvem principalmente os pedestres, são necessárias para a construção de viadutos e elevados do projeto.

No trecho entre a IURB e o Centro de Atenção à Saúde Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto (Cepred), por exemplo, a calçada à esquerda da via marginal será revitalizada e alargada, corrigindo problemas de ondulações e facilitando o trânsito de pessoas com mobilidade reduzida, sobretudo cadeirantes.

Já o canteiro por onde passa o canal Camarugipe, depois do Cepred e até a Comercial Ramos, será isolado com tapumes por questões de segurança, tanto na via marginal como na ACM. Ou seja, não será mais permitida travessia pedestres nessa área. A travessia da pista marginal para as vias principais, e vice-versa, só poderá ser feita pelas extremidades, por fora da área tapumada.

O estacionamento que existe em frente às lojas de automóveis, antes do Cepred, será retirado para a ampliação da calçada. Além disso, lombofaixas serão implantadas para permitir o acesso seguro à unidade de saúde. Não haverá alterações no fluxo para automóveis nesse trecho e nem a retirada do estacionamento de Zona Azul que fica ao longo da pista marginal depois do Cepred.

Pontos de ônibus – Em função do isolamento por tapume de toda essa área em obras, o ponto de ônibus localizado na Avenida ACM em frente à Igreja Mundial do Poder de Deus será deslocado para perto da faixa de pedestre e da sinaleira que ficam 350 metros mais adiante, no sentido Comercial Ramos. Quem atualmente pega o ônibus neste local terá como opção o novo ponto mais à frente ou aquele situado nas imediações da IURD, que não sofrerá modificação.

Já o ponto de ônibus da região do Cidadela, que tem baixo movimento e fica em trecho onde haverá obras, será suprimido. Quem pega o transporte público nesse local terá como opção o ponto que fica mais adiante, logo depois da sinaleira que permite a travessia segura para o McDonald’s. Uma segunda opção é a outra parada de ônibus próxima à Comercial Ramos, que também não sofrerá modificação. Vale frisar que não haverá mudanças no itinerário de linhas do transporte público.

Fluxo para automóveis – Nessa etapa de alterações, que deve durar um ano, não haverá mudanças significativas no fluxo viário para quem utiliza o automóvel. Em função da área tapumada ocupar parte da via ACM, a pista principal será alargada, preenchendo também o canteiro central. As obras de preparação para o início das alterações têm início esta semana, mas as mudanças temporárias só serão implementadas a partir de 1º de agosto.

As pistas de entrada e saída de veículos da via marginal, na área do Cidadela (após o retorno da Polêmica), serão fechadas. Outra informação importante é que a velocidade máxima tanto na marginal quanto na principal, em ambos os sentidos da ACM, será de 40km/h enquanto durarem as intervenções (hoje os limites são de 60km/h e 70km/h, respectivamente). Essa modificação temporária é necessária por questões de segurança, já que haverá tráfego de veículos pesados e obras próximas às faixas de rolagem.

Notícias Relacionadas