Lobby veda mini-produção e venda de energia elétrica

CLÁUDIO HUMBERTO

Se a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o governo não fossem tão suscetíveis à influência de geradoras e distribuidoras, o Brasil poderia fazer uma revolução na área de energia. Era só permitir, como na Alemanha, que cidadãos comuns e até empresas vendessem energia excedente que produzissem (eólica, solar etc). Hoje, resolução nº 482 da Aneel proíbe isso. Admite só “desconto” na conta mensal.

Renda extra – Na Europa, as famílias são estimuladas a produzir a energia que consomem e vender o excedente, garantindo-lhes renda extra.

Lobby poderoso – Condomínios e produtores rurais poderiam ser estimulados a produzir e vender energia. Mas o lobby de geradores e distribuidores não deixa.

A revolução – O estímulo à instalação de painéis de energia solar em unidades do “Minha Casa, Minha Vida” garantiria renda para pagar as prestações. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas

2 Comentários

  1. paulo

    No meu entender, parece que o sr. Claudio Humberto pouco entende de mercado de energia elétrica, por exemplo, matriz energética brasileira.

  2. paulo

    No meu entender, parece que o sr. Claudio Humberto pouco entende de mercado de energia elétrica, por exemplo, matriz energética brasileira.

Comentários estão suspensos