Remuneração da poupança deve ficar em 70% da Selic mais TR

A proposta do governo para mudar a remuneração da caderneta de poupança prevê que o poupador terá um ganho equivalente a 70% da taxa Selic mais a TR (Taxa Referencial). Essa correção, no entanto, só vai valer a partir do momento em que a Selic, hoje em 9% ao ano, cair abaixo de 8,5%, de acordo com a minuta da Medida Provisória que vai tratar do assunto. Segundo fontes do governo, essa mudança será anunciada no fim da tarde pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, no Palácio do Planalto.

Com a alteração, que só deve valer para novos depósitos, o governo abre espaço para que o Banco Central (BC) continue reduzindo as taxas de juros no país sem gerar desequilíbrios no mercado. No formato em que está, a poupança tem uma remuneração garantida de TR mais 6% ao ano. Já outras aplicações, como fundos de investimentos, dão ganhos que variam de acordo com a Selic.

Por isso, se os juros continuarem caindo no país, existe o risco de a poupança passar a render mais que os fundos. Com isso, ela poderia passar a ter uma captação excessiva, retirando investidores de outras aplicações. Como 65% dos depósitos na poupança precisam ser aplicados em habitação, haveria dinheiro demais para esse tipo de operação e de menos para outros. Além disso, como os fundos são compostos em boa parte dos títulos públicos, uma saída deles poderia acabar prejudicando a gestão da dívida pública.

A presidente Dilma Rousseff vai passar a tarde desta quinta-feira apresentando a proposta a líderes políticos, centrais sindicais e empresários. Como qualquer mudança na caderneta é polêmica _ uma vez que mexe com um investimento que é considerado um patrimônio dos brasileiros _ e precisa passar pelo Congresso, a presidente quer garantir que haja apoio político para que a medida seja aprovada. (O Globo)

Notícias Relacionadas