Se Dilma sair, Wagner, Mercadante e Edinho cairão nas mãos de Moro.

Wagner, Mercadante e Edinho: se impeachment foi aprovado, eles perdem o foro privilegiado e ficarão sujeitos ao juiz federal Sérgio Moro.
Wagner, Mercadante e Edinho: se impeachment foi aprovado, eles perdem o foro privilegiado e ficarão sujeitos ao juiz federal Sérgio Moro.

CLÁUDIO HUMBERTO

Várias autoridades do governo Lula estão insones porque a destituição da presidente Dilma Rousseff ocasionará perda dos seus cargos e, principalmente, de prerrogativas preciosas. Sem foro privilegiado, Lula e os ministros Jaques Wagner, Aloizio Mercadante e Edinho Silva, citados em delações premiadas da Operação Lava Jato, ficarão sujeitos ao juiz federal Sergio Moro, implacável contra a corrupção.

LULA, O INIMPUTÁVEL
Dilma decidiu nomear Lula ministro, conforme denunciou a Procuradoria Geral da República, para livrá-lo do juiz Sergio Moro.

OLHO DA RUA
O que tira o sono desses ministros enrolados é a certeza de que serão demitidos, caso Michel Temer assuma o lugar de Dilma.

NO LIMBO
Sendo afastada do cargo, Dilma terá de coçar o bolso para pagar sua própria defesa. A Advocacia-Geral da União deve defender a União.

MEDO DE CADEIA
Apesar de receber metade do salário se for mesmo afastada, Dilma poderá usar uma residência oficial do Alvorada ou da Granja do Torto. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Fonte: Aloizio Mercadante, Edinho Silva

Notícias Relacionadas