Bento XVI deixa o Vaticano e segue para a residência de verão em Castel Gandolfo

Thais Leitão
Agência Brasil

Brasília – O papa Bento XVI deixou o Vaticano na tarde de hoje (28) e seguiu para Castel Gandolfo, residência de verão do chefe da Igreja Católica, cerca de 30 quilômetros ao sul de Roma. Daqui a pouco, às 20h (16h em Brasília), ele encerra seus quase oito anos de pontificado. Um helicóptero da República Italiana, ostentando uma bandeira do Vaticano, decolou pouco depois das 16h (horário local) de um heliporto na cobertura de um edifício do pequeno Estado, para levar o papa até Castel Gandolfo, onde deve permanecer nos próximos meses.

Em maio, provavelmente, Bento XVI voltará ao Vaticano, quando a reforma da residência a ele destinada – o Mosteiro Mater Ecclesia – estiver concluída.

Sinos de Roma e da Basílica de São Pedro soaram no momento da decolagem do helicóptero que levou Bento XVI a Castel Gandolfo. Antes de partir, o papa emérito, como passará a ser chamado após a renúncia, prometeu “obediência e reverência” a seu sucessor.

O líder da Igreja Católica teve seus momentos finais de pontificado transmitidos ao vivo para todo o mundo. De acordo com o Centro de TV do Vaticano, 26 câmeras foram disponibilizadas para registrar as horas finais do pontificado de Bento XVI.

O último ato público do papa será uma saudação à população a partir da varanda central da residência de verão.

Assim que a resignação de Bento XVI for efetivada, inicia-se o período de sé vacante (sem papa), compreendido entre a morte ou renúncia e a eleição do novo papa.

Ontem (27) ele participou pela última vez da tradicional audiência geral das quartas-feiras e disse que suas “forças tinham diminuído” nos últimos meses. Bento XVI ressaltou que um papa nunca “está sozinho” e agradeceu a cada um que o apoiou. O papa pediu ainda que sejam feitas orações para seu sucessor e para os cardeais que participarão do conclave que escolherá o próximo pontífice. Também ontem ele circulou no papamóvel, acenou para os fiéis, beijou crianças e enviou mensagem justificando a renúncia.

O papa Bento XVI, de 85 anos, anunciou em 11 de fevereiro que deixaria o pontificado hoje (28), alegando idade avançada. Na ocasião, ele disse ter consciência da gravidade de seu ato. A renúncia é a primeira de um papa na era moderna. A data do conclave ainda não foi confirmada, mas, segundo o Vaticano, os cardeais devem se reunir a partir de segunda-feira (4) para definir o processo de sucessão.

O alemão Joseph Ratzinger assumiu o comando da Igreja Católica em 19 de abril de 2005, após a morte de João Paulo II, que esteve no pontificado por 31 anos. Aos 78 anos, Ratzinger foi um dos cardeais mais idosos a ser eleito papa.

Notícias Relacionadas