Garotas contam como foram estupradas pelos pagodeiros da New Hit

Depoimentos das jovens complicam ainda mais situação dos pagadeiros da banda New Hit
Em depoimento prestado à juíza Márcia Simões, na segunda-feira, 18, em Ruy Barbosa, uma das duas adolescentes que acusam os integrantes da banda New Hit de estupro revelou detalhes do crime. O jornalista João Eça, do jornal A Tarde, teve acesso às declarações que descrevem o drama relatado pelas jovens.

Segundo a publicação, as jovens contaram ter sido convidadas para ir ao ônibus da banda por Willian Ricardo de Farias, conhecido como Bryan, porque queriam tirar uma foto com o grupo. Ao entrar no veículo, a jovem teve a bunda apalpada pelos músicos Dudu e Alanzinho. Ela disse ter reclamado, enquanto os jovens riram.

Alegando que no fundo do ônibus a luz seria melhor para a foto, Bryan chama os músicos e as duas jovens para a parte de trás do veículo.

Ainda de acordo com a publicação, Dudu e a adolescente se beijaram, porém, a jovem diz que em nenhum momento falou que queria fazer sexo com o vocalista. Um pano branco foi colado isolando o fundo da frente do ônibus. A partir daí, segundo a jovem, o comportamento dos músicos muda.

No depoimento, a jovem diz que um dos músicos segurou as mãos dela e tentou colocar o pênis na boca da menina. Ela diz que outro integrante puxou o cabelo dela, forçando-a a levantar a cabeça. Enquanto isso, o vocalista Dudu afastou o body preto e as duas calcinhas usadas pela jovem e a penetrou com força. O vocalista ejaculou nos braços e na roupa da jovem.

Segundo o jornalista, enquanto a jovem era penetrada por Dudu, John se masturbava e tentava colocar o pênis na boca da garota. Ela foi agredida com tapas no rosto e na bunda. Foi quando percebeu que tinha sangue na calcinha.

A outra adolescente, que havia sido levada para o banheiro, contou que ainda não sabia o que se passava com sua amiga. Ela contou que um dos membros da banda questionou “Você gosta de dar para cantor?”, e exigiu que ela praticasse sexo oral. Ainda no banheiro, Bryan a teria estuprado.

Leia também: Músicos da New Hit podem pegar até 10 anos de prisão, diz especialista

Ela disse que, de dois em dois, os músicos entravam no banheiro para estuprá-la. Enquanto um a segurava pelos braços, o outro a penetrava.

Após ser liberada, Alanzinho deu um tapa na bunda da jovem e Bryan abaixou sua roupa. Um deles recomendou em tom de ironia que a jovem tomasse a pílula do dia seguinte, pois “a gala deles era grossa”.

Ainda segundo o depoimento reproduzido pelo Grupo A Tarde, sujas de sêmen, as amigas se encontraram e choraram muito. Elas pediram para usar o banheiro de uma pousada, mas, com vergonha, não contaram o que havia acontecido. A prima das jovens que decidiu denunciar o caso à Polícia.

O terceiro dia de audiência de instrução do Caso New Hit, previsto para acontecer nesta quarta-feira (20), em Ruy Barbosa, na Chapada Diamantina, foi cancelado pela juíza Márcia Simões. Ela acatou o pedido feito pela defesa alegando que duas testemunhas não foram intimadas, pois não foram localizadas.

A promotora Mariza Jansen que acompanha o processo que acusa os integrantes da banda New Hit de estupro de duas adolescentes solicitou, na audiência desta terça-feira (19), a coleta de DNA dos membros do grupo para ajudar na investigação do caso. Amostras de DNA das vítimas já haviam sido coletadas no exame de corpo delito feito logo após o crime.

“A defesa acolheu, porém o material ainda não foi coletado”, disse a promotora em entrevista à TV Bahia. O segundo dia da audiência terminou por volta de 21h, depois do depoimento de seis pessoas. Elas começaram a serem ouvidas desde as 8h de hoje.(Correio citando informações de A Tarde)

Notícias Relacionadas