Irmã e cunhado presos por tentar extoquir R$ 50 mi do deputado João Bacelar

O computador do deputado federal João Bacelar foi invadido por Luiilian, sua irmão e seu companheiro André Dumet Guimarães (Foto: Agência Câmara)
Salvador – Uma equipe do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) cumpriu, na manhã desta terça-feira (27), dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça, contra Lilian Silva Bacelar, 32 anos, e seu companheiro, André Dumet Guimarães, 38, acusados de tentar extorquir R$ 50 milhões do deputado federal João Carlos Bacelar, irmão de Lilian. O casal exigia parte do dinheiro referente à herança da família, ameaçando divulgar informações pessoais e profissionais obtidas clandestinamente do computador do parlamentar.

A polícia apurou que André instalou um programa para conseguir acesso remoto aos emails do deputado e passou a obter, em seu computador pessoal, todas as mensagens recebidas e enviadas por Bacelar a dezenas de pessoas. Vários documentos e emails impressos, além de computadores e pendrives, foram apreendidos no apartamento do casal, no bairro da Graça. Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa dos pais e de um irmão de André, localizados na Vasco da Gama e Pituba, respectivamente.

A irmã do deputado chegou a procurar uma revista de grande circulação nacional para fornecer informações, que, segundo ela, foram obtidas por meio dos emails do irmão, comprovando irregularidades na atividade parlamentar de João Bacelar. O deputado procurou a Polícia Civil e denunciou a manipulação de informações para prejudicá-lo. Laudos periciais comprovaram mais de 600 acessos indevidos na conta da vítima.

André Dumet vai responder pela interceptação indevida de e-mail e extorsão, enquanto Lilian responderá por co-autoria no crime de extorsão. A irmã do deputado federal já responde a um inquérito da Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap) por estelionato. Em 2011, a própria família de Lilian procurou a unidade especializada para denunciar o desvio de R$ 580 mil de uma conta da construtora Embratec (empresa da família), feito por Lilian, para uma conta em nome de André, seu companheiro.

André está custodiado na carceragem do Complexo Policial dos Barris, enquanto Lilian seguiu para a Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (DERRCA). O delegado Oscar Vieira Neto, titular da Delegacia do Consumidor (Decon), coordenou as investigações e a ação que resultou na prisão do casal.

Notícias Relacionadas