Presidente terá o desafio de tirar as estatais do PT

CLÁUDIO HUMBERTO

Lula cumpre pena por corrupção, sua sucessora sofreu impeachment, meio PT está preso ou a caminho da cadeia, mas o partido ainda manda, e muito, nas empresas estatais do governo federal, sobretudo em negócios de patrocínio e publicidade da Petrobras, Banco do Brasil, Caixa e BNDES, que totalizam cerca de R$2 bilhões anuais. O desafio do governo Bolsonaro será acabar com o poder petista nas estatais.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (Foto: Agência Brasil)

‘TRAMA’ PREMIADA
Essas estatais fazem questão de garantir patrocínio de veículos que Temer afirma terem promovido uma “trama brutal” para derrubá-lo.

SIGA O DINHEIRO
Ministro próximo a Temer sugeriu “não esquecer o BNDES”, ao ouvir da coluna exemplos de estatais que dão solene banana ao governo.

ABRIU MÃO DE PODER
Diretores dessas estatais lembram a Temer que foi dele a iniciativa da “Lei das Estatais”, que proíbe “ingerências”. Deu no que deu.

ÓTIMA SOLUÇÃO
É muito boa a ideia do ministro Gilberto Occhi (Saúde) de substituir os cubanos do “Mais Médicos” por brasileiros formados em medicina graças ao suporte do Fies, o programa de financiamento estudantil.

HORÁRIO DE VERÃO FAZ MAL
Deputado federal eleito e médico cardiologista, Luiz Ovando (PSL-MS) é ferrenho opositor do horário de verão, que, segundo ele, é prejudicial à saúde, comprovado cientificamente. É uma autoridade no assunto.

VIROU CASO DE PROCESSO
O corregedor nacional, ministro Humberto Martins, vai ouvir no dia 6 o que tem a dizer Rogério Favreto, desembargador do TRF-4, ligado ao PT, que tentou soltar Lula num plantão, contrariando o próprio TRF-4.

SUS NÃO É CUBANO
O PT mente, alegando que Bolsonaro deixa “60 milhões sem médicos”. Menos, menos. O SUS atende a mais de 200 milhões de pessoas: só em 2015 foram 1,4 bilhão de consultas e 11,5 milhões de internações.

VELHO TRUQUE
Perguntaram a Bolsonaro como ele definirá seu chanceler. “Critérios técnicos”, responde. “E se for gay?”, insistem. Ele diz que não faz diferença. A notícia virou: “Bolsonaro admite nomear gay no Itamaraty”.

RECESSO VEM AÍ
O Congresso vai parar para o último recesso parlamentar antes do fim. Entre 20 de dezembro e 1º de fevereiro o verbo “trabalhar” continuará deixando de ser conjugado na Câmara e no Senado.

ÚLTIMO RECURSO
Tentando cair nas graças do eleitorado conservador, o presidente da CCJ da Câmara, Daniel Vilela (MDB-GO), colocou na pauta desta semana projeto de 2011 que criminaliza a prostituição.

A CONTA É SEMPRE NOSSA
Ninguém percebeu, mas a Comissão Mista de Orçamento aprovou uma série de créditos especiais e suplementares ainda para este ano, na calada da terça (13). A conta, como sempre, é nossa: R$ 1,3 bilhão.

PENSANDO BEM…
…Bolsonaro poderia oferecer vagas no avião dos médicos para Cuba a políticos e artistas que prometeram deixar o País após sua vitória.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *