Missão nos EUA trará bons frutos para a Educação municipal”

ACM Neto e comitiva participaram de um encontro com técnicos do Banco Mundial sobre educação.

Em busca de inovação e soluções para o aprimoramento da qualidade da educação pública de Salvador, o prefeito ACM Neto e a comitiva que compõe a missão municipal nos Estados Unidos focaram a agenda em atividades voltadas à área. Após reunião com a cúpula do Banco Mundial, onde se discutiu o contrato de financiamento de U$ 125 milhões a serem aplicados nas áreas de educação, saúde e promoção social, a comitiva, composta também pelos secretários Bruno Barral (educação), Luiz Carreira (Casa Civil), Claudio Tinoco (Cultura e Turismo) e Tiago Dantas (Gestão), participou de um encontro com técnicos da instituição financeira exclusivamente sobre educação.

“A reunião foi muito produtiva. Eles nos apresentaram possíveis soluções para o monitoramento do ensino e também plataformas digitais para desenvolvimento de materiais pedagógicos com uso de tecnologia”, explica ACM Neto. “Essa é uma missão que trará bons frutos para a educação municipal”, garante.

Segundo ele, as soluções apresentadas possibilitam, por exemplo, a integração de dados, tornando-os disponíveis de forma organizada para subsidiarem tomadas de decisões. Outra tecnologia mostrada permite que o aluno e o professor se conectem a uma nova forma de compartilhar o conhecimento. Durante a reunião, o secretário municipal da Educação, Bruno Barral, fez uma apresentação sobre a educação pública municipal de Salvador.

Na terça-feira (13) e nesta quarta-feira (14), a comitiva visitou escolas em Washington DC e em Palo Alto para conhecer o funcionamento de modelos de atuação conjunta do poder público com a iniciativa privada. Um deles, o voucher, tem aspectos semelhantes ao programa Pé na Escola, lançado em outubro pela Prefeitura de Salvador.

“Nessas visitas estamos vendo o funcionamento desse tipo de programa aqui, bem como tendo contato com outras iniciativas, a exemplo do charter”, diz Bruno Barral. O secretário explica que enquanto no voucher o governo paga pela vaga do aluno em escolas privadas, o charter é um modelo de escola 100% financiada por recursos públicos e gerida pela iniciativa privada. “São modelos que estamos conhecendo, vendo seu funcionamento, suas vantagens e desvantagens. Estamos atrás de ideias, de experiências que possam inspirar o desenvolvimento de soluções que resultem no avanço da qualidade da nossa educação municipal”, argumenta.

A agenda da missão ainda prevê uma reunião com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Na quinta-feira, a comitiva irá para Standford, na Califórnia, onde participará da Lemann Dialogue – uma conferência anual que reúne quatro universidades apoiadas pela Fundação Lemann (Columbia, Harvard, Illinois e Stanford) para discutir sociedade, economia e política. Neste ano, o tema do evento será “Social Innovation and Brazil’s Future” (Inovação social e o Futuro do Brasil). Durante a estada na Califórnia estão previstas visitas a empresas de tecnologia que atuem com soluções para a Educação.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *