Álvaro Dias se articula para presidir o Senado

CLÁUDIO HUMBERTO

Senador e ex-candidato do Podemos à Presidência da República em outubro, Álvaro Dias (PR) se articula para presidir o Senado a partir de 2019. Apesar de derrotado na disputa presidencial, ele tem mais quatro anos de mandato como senador. Será difícil. Partido de maior bancada sempre reivindica a indicação do presidente. O senador eleito Flávio Bolsonaro admitiu que o PSL apoie o MDB, mas depende do candidato.

Além de Bolsonaro, somente Álvaro Dias topou encarar o PT, na campanha de 2018. E foi o senador mais bem votado do País em 2014.-Foto: Moreira Mariz/Agência Senado

MULHER NA PRESIDÊNCIA
O MDB foi reduzido à metade no Senado, mas ainda com a maior bancada. A senadora Simone Tebet (MT) é candidata à presidência.

NO INÍCIO DO ANO
A escolha do novo comando do Congresso será realizada em fevereiro, e a posse será no início da 56ª Legislatura, que acaba em 2023.

APOSTA NA POPULARIDADE
Além de Bolsonaro, somente Álvaro Dias topou encarar o PT, na campanha de 2018. E foi o senador mais bem votado do País em 2014.

BOLA COM O STF
O presidente Michel Temer lembrou ontem no programa Bastidores do Poder, da Rádio Bandeirantes, que tem 15 dias para sancionar (“ou não”) o aumento da Justiça. E que, antes, o Supremo Tribunal Federal “terá de resolver” o auxílio-moradia, regalia isenta de imposto de renda.

ÍNDIA NO MEIO AMBIENTE
Tenente do Exército, Silvia Waiãpi foi a primeira indígena a integrar as Forças Armadas. Agora está cotadíssima para ser a primeira indígena a ser nomeada ministra. Do Meio Ambiente. Ou presidente do Ibama.

RETROCESSO, NÃO
Produtores da economia criativa, setor que avançou muito nas últimas décadas, e representa hoje mais de 5% do PIB brasileiro, estão apreensivos com o futuro da Cultura. Concordam com a fusão a outros ministérios, mas acham que juntar com Educação seria retrocesso.

SÃO UNS FOLGADOS
As montadoras são muito folgadas. Ganharam mais uma isenção fiscal bilionária e não recompensam o cidadão com a perda recursos públicos. Como reduzir o preço escandaloso dos carros que produzem.

HAJA FÔLEGO
Operado e colostomizado, o presidente Jair Bolsonaro deu canseira nos jovens repórteres que acompanharam sua visita a Brasília. Só na quarta (7) foram 14 horas de correria. É melhor já ir se acostumando.

MAIS UM NA LISTA
A Operação Armistício, da PF, mira Romero Jucá (MDB-RR), mas decorre de inquérito sobre suposta propina de R$1 milhão pela Odebrecht a Renan Calheiros (MDB-AL) e Gim Argello (PTB-DF).

CONTINÊNCIA DEVIDA
No Planalto, Bolsonaro fez reverência militar ao Comandante em Chefe das Forças Armadas: bateu continência para o presidente. Elegante, Temer atribuiu o gesto do sucessor ao seu apego à liturgia do cargo.

DECISÃO INVÁLIDA
Para o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, a decisão do Tribunal de Contas da União de fiscalizar a entidade não se sobrepõe a julgamento do STF. “Não possui validade constitucional”, garante.

ESQUECERAM DE MIM
Foi só a eleição acabar e já não se ouve ninguém gritar “Lula livre”…

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *