Quadro de Bolsonaro após facada é grave, mas estável, diz equipe médica

Bolsonaro está consciente e já recebeu familiares. Quando acordou da anestesia, o presidenciável perguntou sobre os filhos. (Foto: reprodução)

Agência Brasil e
Redação do JM

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi operado para estancar uma hemorragia em veia abdominal, teve o intestino delgado costurado e parte do intestino grosso retirada. O procedimento foi necessário após ele ter recebido uma facada no abdômen quando participava de ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

Em entrevista coletiva nesta noite, a equipe médica que o atendeu na Santa Casa de Juiz de Fora informou que o candidato ficará hospitalizado por, no mínimo, uma semana. Houve a necessidade de realizar uma colostomia. Em até dois meses, ele provavelmente terá de ser operado novamente.

“O paciente está na Unidade de Tratamento Intensivo, é um quadro naturalmente grave, pela magnitude do traumatismo, mas estável no momento”, declarou Luiz Henrique Borsato, cirurgião que conduziu a operação de cerca de duas horas. O médico Gláucio Souza destacou que Bolsonaro “chegou em estado muito grave ao hospital, com pressão muito baixa”.

Inicialmente, o deputado estadual Flávio Bolsonado (PSL-RJ), filho do presidenciável, havia informado, em seu Twitter, que a perfuração atingiu parte do fígado, do pulmão e da alça do intestino. No entanto, os médicos disseram que o problema se concentrou na hemorragia em uma veia abdominal e nos ferimentos no intestino. O candidato está fora de perigo, consciente e respira sem ajuda de aparelhos.

O autor do ataque a Bolsonaro foi preso pela Polícia Militar da cidade. A Polícia Federal, responsável pela segurança do candidato, abriu inquérito para investigar o caso.

Notícias Relacionadas