Marcelo Odebrecht entrega novas provas contra Humala, diz site

Marcelo Odebrecht: 3 milhões de dólares para a campanha de Humala, no Peru.

Marcelo Odebrecht entregou ao Ministério Público brasileiro documentos até então desconhecidos do Setor de Operações Estruturadas que mantêm registros de pagamentos e transferências referentes aos 3 milhões de dólares de contribuições para a campanha presidencial de Humala, em 2011 a pedido do Partido dos Trabalhadores (PT).

Desde que deixou a prisão, em dezembro passado, Marcelo Odebrecht dedicou uma parte importante de seu tempo para rever um universo de 480 mil e-mails, 230 mil anexos e 70 mil documentos, contidos em seu computador pessoal apreendido pela Polícia Federal durante sua prisão, em 2015. O ex-presidente da construtora teve que identificar – como parte de seu acordo de premiação adjudicado com a Procuradoria – os documentos que corroboram suas declarações e fornecem evidências que poderiam traçar novas linhas de investigação.

As informações foram publicadas nesta terça-feira (4) pelo site IDL-Reporteros, do Peru. Segundo o portal, os advogados do empresário entregaram aos promotores um CD com e-mails, anotações de seu computador pessoal e registros do setor de Operações Estruturadas da Odebrecht.

Como resultado da busca, a defesa de Marcelo Odebrecht entregou ao Ministério Público um CD com e-mails, anotações encontradas na cópia espelhada do computador pessoal do empregador e registros do Setor de Operações Estruturadas (no sistema “MyWebDay B”) , entre os quais estão os pagamentos e transferências bancárias referentes aos 3 milhões de dólares de contribuições que a empresa fez à campanha presidencial de Ollanta Humala, em 2011, a pedido do Partido dos Trabalhadores.

“Campanha NAC 3 – do Trabalho” Italo – Italiano Eleição Peru “foi o nome chave usado para registrar pagamentos à campanha de Humala. “Italiano” era o nome usado para se referir ao ex-ministro brasileiro Antonio Palocci.

Marcelo Odebrecht disse aos promotores do Peru, durante o interrogatório de 19 de maio de 2017 , que “Palocci daqui do Brasil me pediu, ele fez um pedido para nós apoiarmos, que lhe demos 3 milhões de dólares para apoiar a campanha eh … do Sr. Ollanta Humala no Peru. (…) Esse valor que eu enviaria para Ollanta Humala seria descontado de um valor que eu tinha eh … fixado com eles para apoiar o PT, em geral. O pedido foi justificado na época por uma questão geopolítica, isto é, uma proximidade ideológica entre o presidente Lula e o presidente Ollantha Humala. ”

Em seguida, as provas apresentadas pelos advogados da Odebrecht aos promotores brasileiros:

– A folha de pagamento “Caixa Livre Peru-Dolar” contém quatro pagamentos referentes à “Italo-Italiano-Eleição Peru “, no valor total de um milhão 160 mil dólares. O primeiro pagamento foi de 550 mil dólares, a partir de 20 de maio de 2011; o segundo de 350 mil dólares, de 20 de junho de 2011; o terceiro de 100 mil dólares, de 19 de outubro de 2011; e o quarto de 160 mil dólares, de 14 de dezembro de 2011.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *