Salvador atinge somente 66% de cobertura vacinal contra pólio e sarampo

Os números da vacinação em Salvador estão bem abaixo dos preconizados pelo ministério: 90% para poliomielite e 95% para o sarampo.

Subiu para 66% a cobertura vacinal de Salvador da campanha contra pólio e sarampo. Iniciada no dia 6 de agosto, a estratégia vacinou cerca de 89 mil crianças com idade entre um e menores de cinco anos de um total de 134 mil que compõem o público alvo. Os números estão bem abaixo dos previstos pelo ministério a nível nacional: 90% para poliomielite e 95% para o sarampo.

“Empenhamos todos os esforços para garantir a proteção de nossas crianças. Estendemos até 20h o horário de funcionamento de algumas unidades de saúde, fomos até escolas e creches, promovemos dois dias D, como o que aconteceu neste sábado que passou. Porém, também é muito importante que os pais ou responsáveis assumam suas responsabilidades. Sábado passado foi oficialmente o último dia da campanha e aguardaremos definições do Ministério da Saúde sobre uma possível prorrogação, já que aqui em Salvador a estratégia foi prejudicada no início pela greve dos servidores”, afirmou o secretário municipal da Saúde, Luiz Galvao.

Até o dia 28 de agosto, foram confirmados 1.553 casos de sarampo no Brasil, enquanto 6.975 permanecem em investigação. O país enfrenta dois surtos da doença: no Amazonas, que já tem 1.211 casos confirmados e 6.905 em investigação, e em Roraima, onde há 300 casos confirmados e 70 em investigação.

Casos isolados e relacionados à importação foram identificados em São Paulo (2), Rio de Janeiro (18), Rio Grande do Sul (16), Rondônia (2). Pernambuco (2) e Pará (2). Foram confirmadas ainda sete mortes por sarampo, sendo quatro em Roraima (três em estrangeiros e uma em brasileiro) e três no Amazonas (todos brasileiros, sendo dois óbitos em Manaus e um no município de Autazes).

Notícias Relacionadas