Copa do Brasil: Cruzeiro bate Santos nos pênaltis e avança às semifinais

Nos pênaltis, porém, brilhou a estrela de Fábio. O goleiro pegou todas as três cobranças do Santos: de Bruno Henrique, Rodrygo e Jean Mota.

Agência FPF

O Santos mostrou um futebol eficiente e venceu o Cruzeiro por 2 a 1, mas acabou eliminado na Copa do Brasil nas cobranças dos pênaltis, perdendo a disputa da vaga por 3 a 0. Tudo aconteceu nesta quarta-feira à noite, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG). O time paulista havia perdido por 1 a 0, na Vila Belmiro, e conseguiu descontar a derrota.

Os mineiros avançam às semifinais e vão pegar o vencedor do confronto entre Palmeiras e Bahia –houve empate sem gols no primeiro jogo, em Salvador (BA). O grande clássico nacional contou com a presença de mais de 49 mil torcedores.

Nas penalidades, o grande herói foi o goleiro cruzeirense Fábio, que defendeu três cobranças, em chutes de Bruno Henrique, Rodrygo e Jean Mota. Para o time mineiro marcaram Lucas Silva, Raniel e David.

O Santos foi armado de maneira ofensiva pelo técnico Cuca, com três atacantes. Além disso, mostrou uma postura corajosa, tomando a iniciativa de jogo e terminando o primeiro tempo com 50% de posse de bola. Logo aos seis minutos, o zagueiro Luiz Felipe sentiu uma lesão muscular e foi substituído por Gustavo Henrique.

O Cruzeiro, porém, foi fatal aos 11 minutos. Thiago Neves recebeu o passe pelo lado direito, cortou pelo meio e bateu no canto esquerdo de Vanderlei, que saltou sem chance de evitar o gol. O time mineiro ainda teve uma chance de ouro aos 25 minutos, quando Edilson tabelou com Thiago Neves, invadiu a área e cruzou. Arrascaeta esticou o pé e desviou a bola de leve, que, caprichosa, tocou na trave e não entrou.

O time paulista manteve a posse de bola e sem muita chance de infiltração, tentou chegar ao empate com os cruzamentos. Aos 40 minutos, Arrascaeta teve uma chance para o Cruzeiro, mas acabou bloqueado dentro da área. No lance seguinte saiu o empate. Dodô desceu pelo meio e fez o passe para Gabriel. A marcação não chegou a tempo de evitar que o atacante ajeitasse e batesse forte e cruzado com a perna esquerda. Tudo igual aos 41 minutos.

No segundo tempo, o time mineiro não quis correr o risco que sofreu no primeiro tempo. Tentou liquidar o jogo logo no começo. Aos nove minutos, após escanteio, Dedé testou firme e a bola explodiu no travessão. Dois minutos depois, Edilson encarou Vanderlei e deu um toque com efeito. A bola ia entrando, quando Veríssimo cabeceou em cima da linha para fora.

Cuca tentou mudar este cenário, inicialmente com a entrada de Jean Mota no lugar do apagado Arthur Gomes e depois com o lateral Daniel Guedes na vaga do volante Renato. A partir daí, Victor Ferraz passou a atuar pelo setor de meio-campo. O Santos imprimiu velocidade e tentou adiantar a marcação, mas o Cruzeiro se fechou e priorizou segurar o resultado.

O Cruzeiro foi castigado de novo, sofrendo o segundo gol. Gabriel lançou Rodrygo pela direita e ele levantou para a área. Bruno Henrique subiu bem e desviou de cabeça, no ângulo direito de Fábio. Santos na frente: 2 a 1, aos 38 minutos. Aos 42 minutos, Rafinha pegou um rebote da defesa e bateu de esquerda, com Vanderlei saltando e dando um tapa, evitando o empate.

Nos acréscimos, aos 50 minutos, o Santos conseguiu um contra-ataque e Gabigol saiu sozinho no campo ofensivo quando o árbitro paranaense Rodolpho Toski Marques deu o apito final. Era um lance de chance clara de gol. Todos os jogadores santistas cercaram o árbitro, que acabou expulsando Vladimir, goleiro reserva. A vaga acabou definida nos pênaltis, com a vitória mineira por 3 a 0.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *