Brasil abre as fronteiras para o tráfico e contrabando

CLÁUDIO HUMBERTO

A ligação da cidade brasileira de Foz do Iguaçu (PR) a Puerto Iguazu, do lado argentino da tríplice fronteira, foi abandonado pelo governo do Brasil. Até há instalações, mas sem funcionários. A passagem é livre, como atestou esta coluna, apesar de abrir as portas ao tráfico de drogas e contrabando de armas, origens da criminalidade que avança. O Ministério da Segurança Pública nem se dá ao trabalho de explicar, nem reconhece o problema, passando a bola para a Polícia Federal.

Foz do Iguaçu (PR) (Foto: Reprodução/Internet)

TODOS SUMIRAM
Repórter da coluna teve de identificar-se a autoridades argentinas, como em qualquer fronteira. Mas, no lado brasileiro, não há vivalma.

VIROU ESTACIONAMENTO
No lado brasileiro com a fronteira argentina, guichês de identificação de fronteira viraram estacionamento. E são vistos “fiscais” trabalhando.

DESCONTROLE GERAL
Há denúncias de falta de controle ou de serviço muito deficiente em postos que deveriam controlar fronteiras com os países do continente.

QUEM É RESPONSÁVEL?
A Polícia Federal encaminhou nosso questionamento sobre fronteiras à Coordenação de Polícia de Imigração, o “setor responsável”. Lá ficou.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas