Presidentes não são substituídos para ir ao Brics

Presidente Michel Temer (Foto: Presidência da República/Divulgação))

CLÁUDIO HUMBERTO

A regra cômica da posse do substituto imediato, quando o presidente se ausenta do País, fez Michel Temer pagar o mico de abandonar a reunião de presidentes do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Joanesburgo, porque o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB) precisava retornar ao País para a convenção do seu partido no Ceará, e automaticamente assumiria o cargo tão logo ingressasse o espaço aéreo brasileiro. Com isso ficaria inelegível em outubro.

REGRA CARICATA
Países que integram o Brics, por exemplo, não têm essa regra boba do Brasil: quando viajam, seus presidentes governam à distância.

RÚSSIA NEM TEM VICE
Na Rússia, nem há vice, e ninguém assume o cargo do presidente que viaja. Só há substituição nos casos de renúncia, morte ou cassação.

INDIANOS SÃO SÉRIOS
Na Índia, o vice só assume se o titular morrer, renunciar ou for derrubado pelo parlamento ou a Suprema Corte.

CHINA NÃO SUBSTITUI, ÁFRICA SIM
Na China não há vice e ninguém assume quando o chefe viaja. Igual ao Brasil apenas a África do Sul: presidente só governa em casa.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *