Planalto avalia extinção do Ministério do Trabalho

Ministério do Trabalho, Brasília.

CLÁUDIO HUMBERTO

O Planalto não bateu o martelo, até porque o governo está na reta final, mas a extinção do Ministério do Trabalho ou fusão a outro ministério tem sido avaliada, segundo fontes ligadas ao “núcleo duro” do governo, em razão da sua inutilidade e por haver virado uma “loja” onde se compraram registros sindicais, concentrando no Brasil 92% de todos os sindicatos do mundo. Hoje, o ministério apenas divulga dados mensais de emprego (Caged), o que pode ser feito até por uma ONG.

AGÊNCIAS FISCALIZADORAS
As delegacias do Trabalho podem ser transformadas em agências de fiscalização e auditoria, sem qualquer prejuízo aos trabalhadores.

PREVIDÊNCIA ACABOU, SABIA?
Ministério bem maior e mais relevante, o da Previdência foi absorvido pelo Ministério da Fazenda sem prejuízo ao sistema previdenciário.

HISTÓRICO DE ESCÂNDALOS
No governo Dilma houve duas operações de combate à corrupção no Ministério do Trabalho, controlado pela turma do PDT de Carlos Lupi.

EMPREGOU, DANÇOU
O atual ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello, parecia nome adequado até aparecerem as autuações trabalhistas de que foi alvo.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas