Alckmin ‘costura’ candidatura à mineira, quieto.

CLÁUDIO HUMBERTO

O paulista Geraldo Alckmin (PSDB) optou pela política à mineira, com muita discrição. Coleciona reveses, como o “centrão”, mas, pelas beiradas”, costura acordos com partidos para aumentar o tempo de TV, na campanha, e viabilizar a governabilidade, a partir de 2019, caso vença. Jair Bolsonaro (PSL) lidera as pesquisas, mas empacou nas alianças. Já Lula, preso, vai apostar na vitimização para tentar melhorar o desempenho de Fernando Haddad, o verdadeiro  o verdadeiro candidato do PT.

OUTROS PARTIDOS

O PSDB já conta com a esperada aliança do PPS, tem tudo para fechar com o PSD de Gilberto Kassab e até com o PV.

SEM TV
A Rede, de Marina Silva, vê escapar sua chance de aliança: PPS. Deve contar com tempo de TV reduzido como de Bolsonaro, o que é mortal.

SEM APOIO NENHUM
Álvaro Dias está só com o Podemos. Não apoia nem o irmão Osmar. E já avisou que não vai apoiar Alckmin e o PSDB, seu antigo partido.

AFIF É OPÇÃO DO PSD
Vai ter barulho na convenção do PSD, sábado (28), em São Paulo. “Dono” do partido, Gilberto Kassab quer apoiar Alckmin, mas Guilherme Afif vai se apresentar como opção de candidatura própria a presidente.

INDÚSTRIA AGONIZANTE
Representantes da indústria de indenizações, alguns biliardários, estão apavorados com o debate sobre a Justiça Federal absorver a Justiça do Trabalho, onde as causas desabaram após a modernização da lei trabalhista. Em vez de participarem do debate, atacam quem o divulga.

DEFINIÇÃO PAULISTA
Com 31,1%, João Dória (PSDB) lidera levantamento Paraná Pesquisa para o governo de São Paulo. Em segundo, Paulo Skaf (MDB) está próximo, 21,1%, e o governador Márcio França (PSB), longe: 7,9%.

CHORO COLOMBIANO
Bomba nas redes vídeo em que o ex-prefeito de Palmas (TO) Carlos Amastha, que nasceu na Colômbia, chora ao defender a educação, durante o discurso de renúncia para disputar o governo estadual.

NOME FRACO, HOMEM-FORTE
Candidato a governador do Distrito Federal, apesar do seu governo-tampão trágico de 9 meses em 2010, Rogério Rosso (PSD), se eleito, terá um homem-forte em seu governo: Durval Barbosa, o delator que entregou a companheirada da corrupção para não ser punido.

VOTO NULO É FAKE NEWS
Ao contrário do que alardeiam nas redes sociais e no WhatsApp, votos brancos e nulos não anulam a eleição, explica o consultor Roberto Pontes. Quem fizer essa opção apenas perderá o voto.

DELIVERY EM NOME DA JUSTIÇA
O ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), vai ouvir em Maceió, dia 2, o desembargador Tutmés Airan, do Tribunal de Justiça de Alagoas, no caso em que é acusado de suposta cobrança de propina à advogada Adriana Mangabeira Wanderley.

SURTIU EFEITO
Depois da nota de repúdio conjunta de governadores do Espírito Santo e Pará, a ANTT decidiu iniciar um processo de consulta pública sobre antecipação, sem licitação, das concessões de ferrovias nos Estados.

PENSANDO BEM…
…sem opções, já tem candidato a presidente pensando em concorrer sem vice.

<h2><strong><a href=”http://www.jornaldamidia.com.br/coluna-de-claudio-humberto/” target=”_blank” rel=”noopener”>Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.</a></strong></h2>

Notícias Relacionadas