Velocidade na Avenida ACM será reduzida para apenas 40 km/hora em agosto

O trecho da redução da velocidade vai da Igreja Universal à Comercial Ramos

A partir de 1º de agosto, o trecho entre as proximidades da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e a Comercial Ramos, na Avenida ACM, no sentido Cidade Jardim, passará por alterações que afetam principalmente a circulação de pedestres, já que toda o canteiro do canal Camarugipe, entre as pistas marginal e principal, será isolada por tapumes para a segurança da população. Para quem circula de carro, as mudanças serão pequenas: o fechamento da entrada e saída da pista marginal após o retorno da Polêmica e a redução da velocidade máxima em trechos pontuais de acesso de veículos pesados à área de obras.

Superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller esclarece que essa redução da velocidade para 40 km/h é comum em trechos em obras onde há circulação e acesso de veículos pesados a canteiros. Isso é fundamental para evitar acidentes e não significa aumento de congestionamento. “Não vai haver alteração no fluxo viário em função das obras, nem redução do número de faixas. Ou seja, praticamente não haverá maiores transtornos para os motoristas. A redução do limite de velocidade, que hoje é de 60km/h na marginal e 70km/h na principal, é apenas para garantir a segurança de todos. Essa redução será em locais pontuais, em locais de acesso e saída de veículos pesados ao canteiro, e não ao longo de toda a via”, explica.

Fabrizzio Muller ressalta que a redução de velocidade é necessária para garantir não apenas a segurança dos motoristas, mas também de pedestres e trabalhadores das obras do BRT que estarão circulando nesse trecho da Avenida ACM e na pista marginal. “Trata-se de uma obra de grande porte, com a construção de viadutos, elevados e implantação de corredores exclusivos de tráfego. Essa redução de velocidade para 40km/h aconteceu também nas obras do metrô, em vários pontos da cidade, e é absolutamente normal. Claro que esperamos algum tipo de transtorno, principalmente para o pedestre, mas o BRT vai resolver antigos problemas de mobilidade nessa que é a região mais movimentada de Salvador”.

O projeto do BRT vai promover avanços na mobilidade tanto para quem anda de transporte público quanto de carro, de bicicleta ou mesmo a pé, solucionando problemas de engarrafamento e oferecendo mais qualidade de vida, na medida em que as pessoas irão perder menos tempo no trânsito nessa que é a área mais movimentada da cidade.

Notícias Relacionadas