Radares móveis têm proteção contra vandalismo e identificação visual

A proteção dos radares possui uma cor chamativa, além de possuir uma identificação de fiscalização eletrônica. (Foto: Bruno Concha/PMS/Secom)

Os radares móveis da Transalvador, que fiscalizam excesso de velocidade, já contam com proteção metálica contra vandalismo, o que permite também uma visualização melhor do equipamento por parte dos condutores. Na última semana, dois ataques foram registrados pela autarquia, no início da tarde de sábado (30) e na quinta-feira (28), ambos na Av. Octávio Mangabeira.

“Não haverá nenhuma mudança na forma de fiscalização dos equipamentos. Apenas optamos por utilizar esta proteção para evitar que atos de vandalismo danifiquem os aparelhos e gerem prejuízos aos cofres públicos”, contou o superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller. Em 2017, foram gastos R$11 mil em manutenção destes equipamentos devido a atos de vandalismo.

A cápsula de segurança possui uma cor chamativa, além de possuir uma identificação de fiscalização eletrônica. “A cor alaranjada, bastante viva, permite que o aparelho seja facilmente identificado pelos condutores. Desta forma, evitamos que a população encare a situação como uma ‘pegadinha’ da Transalvador, ou que colocamos o equipamento escondido”, finalizou Muller.

Segundo o superintendente da Transalvador, a fiscalização eletrônica de velocidade é um dos fatores que contribuíram para redução de 51% no número de mortes em acidentes de trânsito na capital baiana nos últimos cinco anos. Em 2012, foram registradas 247 mortes em decorrência de acidentes de trânsito em Salvador, caindo para 120 em 2017. Desta forma, Salvador atingiu três anos antes a meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Década de Ação pela Segurança no Trânsito, de diminuição de mortes em 50% entre 2011 e 2020.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *