Temer diz que reforma da Previdência continua na agenda política

Danyele Soares
Agência Brasil

A cerca de três meses das eleições, o presidente Michel Temer afirmou que é inadmissível qualquer aumento de impostos no atual sistema tributário do país. A declaração foi feita durante o Encontro Nacional da Indústria, onde empresários reivindicaram a reforma tributária.

Presidente Michel Temer
O presidente também disse que, apesar de ter apenas 6 meses pela frente, o governo tem vários planos e vai continuar trabalhando. Mas admitiu que não terá tempo de fazer o que chama de: simplificação tributária.

Temer comentou medidas aprovadas nos últimos dois anos, como as reformas trabalhista e do Ensino Médio. E destacou que a reforma da Previdência saiu da pauta legislativa, mas não da agenda política do país. Assim, segundo o emedebista, os candidatos à Presidência terão de falar se são favoráveis ou contrários ao tema.

As mudanças aprovadas recentemente também foram abordadas pelo presidente da CNI – Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade. Ele pediu agilidade na implantação de uma reforma nos tributos e mais harmonia entre os poderes Judiciário e Legislativo para garantir segurança jurídica aos empresários.

O presidente da CNI também cobrou firmeza na implantação da reforma do Ensino Médio para melhorar, segundo ele, a qualidade da educação e aproximar o estudo à realidade dos jovens.

Notícias Relacionadas