Parente provoca estragos até saindo da Petrobras

CLÁUDIO HUMBERTO

Após adotar a política de reajustes quase diários dos combustíveis que provocaria um “tsunami” na economia, o ex-presidente da Petrobras Pedro Parente deixou o cargo fazendo mal às finanças da estatal. Ao anunciar sua saída pelas 11h da manhã desta sexta-feira (1º), em vez de esperar o fim da tarde, com o mercado financeiro já encerrado, ele saiu em grande estilo, espalhafatosamente, derrubando o valor das ações e até da Petrobras, só ontem desvalorizada em R$ 46 bilhões.

Presidente da Petrobras, Pedro Parente – Foto: José Cruz/Agência Brasil)

VÁ SOMANDO AÍ
Está na conta da gestão de Pedro Parente o custo de R$10 bilhões do governo para atender as demandas dos caminhoneiros.

NÃO PERCA AS CONTAS
Os setores da indústria e serviços estimam perdas de R$27,7 bilhões durante a greve. Em cinco dias, a agricultura perdeu R$6,6 bilhões.

PERDAS DE R$80 BILHÕES
O mercado estima que a Petrobras desvalorizou R$80 bilhões, durante a greve dos caminhoneiros provocada pela política de Pedro Parente.

MOTIVOS DE SOBRA
No total, o governo teve 128 bilhões de motivos para Temer demitir Pedro Parente. Mas o presidente preferiu esperar que se demitisse.

Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *