970×90

IBGE estima leve aumento na safra 2018 de grãos na Bahia

A estimativa de abril para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidas como grãos), em 2018, totalizou 8.090.127 toneladas, o que representa um aumento de 0,1% em relação à safra 2017 (8.078.077 toneladas). É a primeira estimativa positiva de grãos para o estado neste ano. Em março, a previsão era de uma safra 0,8% menor em 2018.

As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

A Bahia deve contribuir com 3,5% da produção nacional de grãos em 2018 (Foto: Ascom/Abapa)

Segundo levantamento divulgado pelo site Bahia de Valor, a Bahia deve contribuir com 3,5% da produção nacional de grãos em 2018, estimada em 230,0 milhões de toneladas, 4,4% inferior à obtida em 2017 (240,6 milhões de toneladas).

Mato Grosso deverá continuar na liderança da produção nacional de grãos neste ano, com uma participação de 25,4% em 2018, seguido pelo Paraná (16,9%) e Rio Grande do Sul (14,1%).

Estimativa da safra baiana de algodão cresce 2,8%
A quarta estimativa da produção nacional de algodão alcançou 4,4 milhões de toneladas, 0,8% maior que a previsão de março, resultado do aumento (0,2%) da área plantada/ a ser colhida. Ao todo, deve ser plantada uma área de 1,1 milhão de hectares de algodão no Brasil.

A Bahia, segundo maior produtor do país, estima produzir 1,1 milhão de toneladas, safra 2,8% maior que a previsão de março e 22,1% maior que a de 2017. Com esse resultado, a safra baiana de algodão deve aumentar a participação na produção nacional de 21,7% em 2017 para 22,8% neste ano.

Safra baiana de soja deve ser 0,9% inferior em relação a 2017
Sem alterações em relação ao mês anterior, em abril, a estimativa é que safra baiana de soja em 2018 (5,088 milhões de toneladas) seja 0,9% inferior à de 2017 (5,136 milhões de toneladas). O o estado deve continuar como sexto principal produtor do grão no país, com participação de 4,6%.

No país como um todo, estima-se safra recorde de soja, de 115,6 milhões de toneladas em 2018, aumento de 1,0% em relação ao mês anterior e de 0,6% em relação ao recorde anterior, de 2017. O crescimento previsto na produção se deve ao aumento de área, de 2,6%, em relação a 2017.

Produção baiana de cacau em 2018 deve ser 23,1% superior
Em abril, estima-se uma produção de 103,2 mil toneladas de cacau na Bahia, aumento de 19,4% em relação ao mês anterior e de 23,1% frente a 2017. O crescimento se deve a uma previsão de aumento de 33,1% no rendimento médio, entre março e abril (de 180 kg/ha para 240 kg/ha), embora a área a ser colhida tenha recuado 10,4%.

Esse crescimento favorece o aumento da produção nacional de cacau, que deve ser 8,3% maior do que 2017 e 7,6% superior ao estimado em março. Além disso, reduz a distância do principal estado produtor de cacau, o Pará, cuja participação na safra do produto deve ser de 49,5% (114,8 mil toneladas), diante dos 44,5% da Bahia.

A reavaliação da produção de cacau se deve às expectativas positivas quanto ao clima na região cacaueira no decorrer deste ano.

Estimativa é de queda de 17,4% na safra 2018 de banana
Após previsão, em março, de aumento de 3,2% da safra 2018 de banana na Bahia, a estimativa de abril aponta para uma queda de 17,4%, reduzindo a participação do estado na produção nacional de 14,9% em 2017 para 13,0% em 2018. Ainda assim, a Bahia deve permanecer como segundo maior produtor da fruta no país, com 912 mil toneladas.

Em função da estiagem prolongada, alguns projetos de irrigação deixaram de produzir por limitação no fornecimento de água. A estiagem vem comprometendo também o rendimento médio da banana na Bahia.

Em relação ao ano anterior, a produção de banana do país, em 2018, deve apresentar retração de 2,7%, havendo redução de 1,0% no rendimento médio e de 1,8% na estimativa da área a ser colhida. São Paulo, maior produtor nacional (1,14 milhão de toneladas), com participação de 16,3% na produção nacional também estima queda de 1,6% na produção.

Bahia tem queda nas estimativas das safras de café e feijão
De março para abril, caíram, na Bahia, as estimativas das safras de café (-2,9%) e do feijão 1ª safra (-11,6%). A produção baiana de café (arábica + canephora) deve ser de 156.980 toneladas em 2018, 13,9% menor que a de 2017 (182.340 toneladas). No caso do café arábica, a redução da estimativa de março para abril (-2,8%) se deveu a uma reavaliação no rendimento médio, enquanto, para o canephora, a queda (-3,0%) reflete reduções de 2,2% na área a ser colhida e de 0,8% no rendimento médio.

Em 2018, a 1ª safra baiana de feijão foi estimada em 118.800 toneladas em abril, 11,6% menor que a previsão de março e 16,0% abaixo da de 2017 (141.452 toneladas). A redução resulta de quedas na área plantada (-8,3%)e na estimativa do rendimento médio (-3,6%).

12 das 26 safras de produtos investigados na Bahia devem ser maiores
Das 26 safras de produtos investigadas pelo LSPA na Bahia, 12 devem ter crescimento neste ano, em relação a 2017. As produções com previsão de maior crescimento, em termos absolutos, no estado são as de cana-de-açúcar (+1,449 milhão de toneladas), algodão (+184.264 toneladas) e milho 1ª safra (+97.260 toneladas).

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *