970×90

Só acontece com Lula; Por Jolivaldo Freitas.

JOLIVALDO FREITAS

O Brasil, não necessariamente, mas por absoluta vocação, é o país da sacanagem pronta. E, neste momento em que Lula está na berlinda, tudo converge para ele, ou como dizia o ceguinho Geraldo de Tanquinho “o raio cai sempre na casa que está com a cumeeira lascada”.

Jolivaldo Freitas é jornalista e escritor / Jolivaldo.freitas@yahoo.com.br

Não sei se o senhor ou a senhora percebeu, assim como não sei se foi sacanagem da própria Polícia Federal, quando foi buscar Lula que se entregava no Sindicato dos Metalúrgicos na semana passada. A viatura que conduziu o ex-presidente para a prisão tinha as seguintes letras na placa: FDP. Nem preciso dizer que desde os tempos do jornal O Pasquim, que inventou colocar asteriscos em palavrão e usar apenas as iniciais das frases “fortes” ou “ofensivas”, que era para não chocar a sociedade puritana dos anos 1960 e também como saída para driblar a censura do governo militar, que FDP significa literalmente Filho da Puta. Coincidência? Sacanagem?

Mensagem sub-reptícia elaborada pela Polícia Federal que perde um tempo do Cão para ficar elaborando nomes para suas campanhas e operações? Vá saber e nem torturando um federal se consegue obter a verdade, lembrando que este termo “tortura” é mera figura de linguagem, ainda mais nestes tempos de Bolsonaro.

Daí que vem um sacana não se sabe como, o que deixa todo mundo que viaja de avião preocupado, e entra no sistema de comunicação das aeronaves e manda jogar o lixo fora falando com o piloto do teco-teco que levou Lula de Congonhas para a cadeia em Curitiba. E é permitido qualquer radioamador entrar a frequência e falar? E se fosse coisa mais séria? Olha o perigo no ar. A Aeronáutica ainda deve uma satisfação.

Mas, como dizia o ceguinho Geraldo de Tanquinho “quando se está de quatro o de trás empurra pra frente” e no meio da semana a família de Lula foi visita-lo na cadeia e quando um dos seus filhos – aquele que é o Ronaldinho da família Silva – sai do carro levando uma sacola de papel, dessas de lojas de grife, provavelmente com mudas de roupas para troca ou algum adjutório para conforto do preso, olha que se lê no nome da loja: “Saia Justa”. Rapaz, fico a perguntar se não é um desacerto grande as coincidências que permitem o achincalhe de Lula – não, não vou entrar na discussão de que ele mesmo se transformou em folclore por palavras e atos, pois como dizia o ceguinho Geraldo de Tanquinho “Quem muito fala num momento qualquer come um pedaço da língua”.

Mas Lula, ele mesmo, é rei do folclore. Quem não lembra quando decidiu no governo o recadastramento para os velhinhos acima de 90 anos senão perderiam a aposentadoria? E seguem outras:

Lembre quando disse para Putin quando da morte de 22 brasileiros na base de lançamento de Alcântara que no Brasil, a gente diz que há males que vêm para o bem, observando que o acidente ia estimular mais esforço para avançar no conhecimento tecnológico espacial.

Quem não lembra quando no lançamento de um programa para portadores de transtornos mentais ele disse com todas as letras. “Todos nós temos um pouco de louco dentro de nós”, gerando mal-estar pelo termo incorreto. Mas, pelo que se vê, ele está certo.

Mas o período zodiacal, as confluências astrológicas não estão nada boa para Lula. Agora mesmo deve estar no maior estresse. O que fazer um cara que está na cadeia, num espaço de 15 metros quadrados, vendo o sol nascer idem, sabendo que o tríplex defronte ao maravilhoso mar de Guarujá – com as ondas batendo de leve quase à porta – foi invadida pelo Movimento dos Sem-teto? Invadiram de brincadeirinha. Como protesto. Mas, como tirar o povão daquela belezura de gente rica? Eu não saia nem com gás lacrimogêneo, imagine com brisa e salitre.

Como dizia o ceguinho Geraldo de Tanquinho: “Quem dá muita corda se enforca”. Quero ver quem vai pagar o boleto do condomínio.

Escritor e jornalista: Jolivaldo.freitas@yahoo.com.br

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *