Santos leva vantagem sobre o Palmeiras no histórico de semifinais

Agência FPF

Na história do Campeonato Paulista, as duas equipes estiveram frente a frente em quatro semifinais diretas.

Rivais desde 1915, quando se enfrentaram pela primeira vez, Santos e Palmeiras colecionam histórias destacáveis pelo bom futebol e por momentos de ápice em conjunto. Na história do Campeonato Paulista, as duas equipes estiveram frente a frente em quatro semifinais diretas, como ocorre neste ano. A vantagem é santista.

Como a disputa de semifinais em Campeonatos Paulista é algo relativamente novo -a primeira aconteceu em 1978- os confrontos entre santistas e palmeirenses são recentes, dois deles neste século. O primeiro, com vitória do Palmeiras, foi em 1999. Na sequência, o Santos foi vitorioso em 2000, 2009 e 2016.

2009: Confirmando o favoritismo
Finalista da Taça Libertadores da América -que viria a conquistar dias após garantir sua vaga na decisão do estadual- o Palmeiras somara mais pontos que o Santos na fase anterior, porém, com a segunda posição do Grupo 3, era o Santos, líder do Grupo 4, quem faria o segundo jogo em casa. O empate no resultado agregado, porém, classificaria o Palmeiras.

Três dias após jogar a primeira final da Libertadores, o Palmeiras foi surpreendido no Morumbi. Poupando alguns titulares, Felipão viu Argel e Viola, aos 17 do primeiro e 9 minutos do segundo tempo, abrir vantagem para o time de Emerson Leão. Aos 17 minutos do segundo tempo, Júnior Baiano diminuiu e o Palmeiras precisava apenas de uma vitória simples no jogo da volta para ir até a decisão estadual.

No jogo da volta, oito dias antes da segunda e decisiva partida do torneio continental, era o Santos quem vencia até os 35 minutos do segundo tempo, com gol de Viola, aos 29 da primeira etapa. Porém, Oséias empatou e Paulo Nunes, que poupado entrou no segundo tempo na vaga de Euller, aos 39, marcou o gol da classificação alviverde.

2000: Virada histórica

Praticamente um ano depois, o enredo parecia se repetir. Palmeiras finalista da Libertadores e favorito diante do Santos que lutava para findar o jejum de títulos importantes. Num dos episódios mais marcantes da história do confronto, porém, o Santos contrariou as expectativas e devolveu a virada do ano anterior com juros.

No primeiro jogo, no estádio do Morumbi, empate sem gols com um Palmeiras alternativo. Na segunda partida, com o alviverde mais completo, a história caminhava para uma vitória tranquila. Agora com a camisa alviverde, o zagueiro Argel abriu o placar aos 33 minutos do primeiro tempo e Euller, aos sete da segunda etapa ampliou e comemorou provocando, como se pescasse um peixe.

A improvável virada santista começou com Eduardo Marques em um golaço. De fora da área o meia acertou belo chute aos 23 minutos. Aos 32 foi a vez do volante Anderson Luiz subir mais que a zaga palmeirense para empatar o confronto. Já aos 44 da segunda etapa, após cabeçada de Claudiomiro, Dodô teve o gol livre para sacramentar a histórica virada e recolocar o Santos numa decisão de estadual.

2009: Surge Neymar
Líder da primeira fase do Campeonato Paulista daquele ano com apenas uma derrota, o Palmeiras tinha o Santos, quarto colocado, como rival daquela semifinal. Nessa fase de classificação, vitória palmeirense por 4 a 1, com direito a show de Keirrison, carrasco santista à época. Neymar, arma santista para a semifinal, sequer havia sido relacionado por Vagner Mancini.

Para a semifinal, porém, o menino já era realidade no time santista e foi decisivo nos dois confrontos. Keirrison, o carrasco, abriu o placar na Vila Belmiro, aos sete minutos do primeiro tempo, ampliando o favoritismo palmeirense. Aos 18 minutos Kleber Pereira empatou para os donos da casa e, no segundo minuto da segunda etapa, Neymar recebeu na meia lua, girou e bateu no canto de Marcos para decretar a vitória por 2 a 1.

De volta ao Palestra Itália, palco da goleada da primeira fase, o Palmeiras nem precisava de tanto para avançar, bastava uma vitória simples, graças à melhor campanha. Com 17 minutos do primeiro Neymar lançou Madson que tocou na saída de Marcos para abrir o placar e aos 5 da segunda etapa o mesmo Neymar sofreu pênalti batido por Kleber Pereira. Obrigado a virar o placar, Pierre aproveitou falha de Fábio Costa para diminuir, inutilmente.

2016: Torcida única decide
Sete temporadas depois, a situação se invertia e o time da Vila Belmiro é quem tinha a melhor campanha na somatória das fases anteriores. As novidades, porém, eram desfavoráveis ao time de pior campanha. Desta vez a semifinal seria em jogo único e com apenas a torcida mandante nas arquibancadas. No caso, a santista. O empate, porém, levava a decisão da vaga aos pênaltis.

Gabriel aos 39 do primeiro tempo e aos 29 do segundo, abriu a boa vantagem para o time santista que encaminhava a vaga na oitava decisão seguida. No entanto, Rafael Marques, do Palmeiras, não desistiu. Marcou aos 42 e aos 44 os gols do empate alviverde, que levava a decisão aos pênaltis.

Com torcida única santista, a atmosfera da Vila Belmiro não deixou os visitantes se empolgar com o feito histórico que realizavam. Nos pênaltis, Prass pegou cobrança de Lucas Lima e o Palmeiras saiu na frente na disputa, mas Vanderlei devolveu ao pegar os chutes de Barrios e Rafael Marques. Ao chutar na trave, Fernando Prass colocou o Santos em mais uma decisão.

Notícias Relacionadas