970×90

UFBA realiza obras de requalificação em equipamentos

O Centro Interdisciplinar de Energia e Ambiente (Cienam), da Escola Politécnica, será beneficiado. (Foto: UFBA)

A Universidade Federal da Bahia dará início a três obras para a comunidade universitária. As obras contempladas são a Biblioteca Universitária Isaías Alves, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH); o Centro Interdisciplinar de Energia e Ambiente (Cienam), ligado à Escola Politécnica, Instituto de Geociências e Instituto de Biologia; e o Laboratório de Preparação e Análise de Amostras (Lapag), do Instituto de Geociências (IGEO).

As ordens de serviço foram assinadas pelo reitor João Carlos Salles em cerimônia na Sala dos Conselhos da Reitoria. As obras serão subsidiadas pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) – agência pública responsável pelo fomento à ciência, tecnologia e inovação. Durante o ato de assinatura, o reitor destacou a importância das obras para a comunidade acadêmica. “Me sinto muito contente e pessoalmente identificado com cada um desses projetos”, afirmou Salles, que atribuiu essa realização a um trabalho integrado de toda uma equipe, com a contribuição decisiva de pesquisadores e grupos de pesquisa.

A consolidação do Sistema de Bibliotecas foi ressaltada pela superintendente Lídia Toutain, que celebrou a iniciativa de ampliação e preservação do acervo da Biblioteca Isaias Alves. “É mais uma ação para que os cursos da UFBA sejam bem avaliados e obtenham notas máximas em seus conceitos”. Já o professor Jailson Andrade lembrou que o Cienam foi criado em 2008 e se estruturou graças ao apoio das diretorias da Escola Politécnica, dos Institutos de Geociências e de Biologia, integrando atualmente dois Institutos de Ciência e Tecnologia (INCT).

O coordenador de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação (Propci), Thierry Lobão, lembrou que o recurso para as obras é referente às chamadas do CT Infra – fundos de infraestrutura da Finep, abertas às instituições públicas e organizações sociais voltadas à pesquisa. Ele destacou a atuação estratégica da Pró-Reitoria junto à Finep para viabilizar os vários convênios. “No ano passado conseguimos o maior financiamento de todos os tempos junto à Finep. Assim, será possível iniciar as obras com o dinheiro em caixa”.

Notícias Relacionadas