Polícia da Bahia vai usar câmeras presas às fardas no Carnaval

Os milhares de baianos e turistas que vão curtir o Carnaval da Bahia 2018 contarão com a proteção de mais de 25 mil policiais e bombeiros militares nos sete dias de festa. Aproximadamente 45 milhões estão sendo investidos em pessoal, tecnologia e equipamentos, para que a folia seja de pura alegria e diversão! Entre as novidades este ano está a utilização de body worn, tipo de câmera acoplada à farda dos policiais, oferecendo maior fiscalização do que acontece dentro da festa.

As body worns serão aplicadas de forma experimental no Carnaval 2018, munindo de informações das ruas as equipes de plantão.

Em fase de teste desde a Lavagem do Bonfim, as body worns serão aplicadas de forma experimental no Carnaval 2018, munindo de informações das ruas as equipes de plantão do Centro Integrado de Comando e Controle e ajudando no acionamento rápido de equipes em situações críticas. A nova tecnologia oferece o acompanhamento não só das imagens, mas também dos áudios locais, além de alertar o sistema em casos de policiais atingidos.

Além das bodys worns, outras 236 câmeras espalhadas pelos circuitos da festa transmitirão imagens em tempo real para o Centro de Operações e Inteligência – 2 de Julho. Também fazem parte da estrutura de segurança da festa 64 postos policiais só em Salvador e três Centros Integrados de Comando e Controle – Móveis.

Em Salvador, além de cuidar da segurança nos circuitos Dodo, Osmar e Batatinha, as polícias Civil, Militar, Técnica e o Corpo de Bombeiros também estarão presentes nos carnavais de bairro, que este ano acontecem em Cajazeiras, Periperi, Itapuã, Liberdade, Boca do Rio, Plataforma, Pau da Lima, Nordeste de Amaralina e Piatã, com o Palco do Rock 2018.

Os Portais de Abordagem, que há dois anos ajudam a restringir o acesso de objetos considerados de riscos aos circuitos, foram reestruturados. Este ano, 42 acessos oficiais, com controle rígido do que entra na festa, estarão disponíveis, com revistas pessoais e o auxílio de detectores de metais. Duas novidades podem auxiliar ainda mais o trabalho policial: as câmeras acopladas ao fardamento dos PMs nos portais, os chamados body worns e os cães farejadores do Batalhão de Choque nas revistas de mochilas, bolsas, entre outros materiais.

A SSP também garante, durante a folia, a segurança dos foliões durante a compra das vestimentas de acesso aos blocos e camarotes através da ‘Operação Abadá’, onde reforça o policiamento nos postos de trocas.

Polícia Militar

A PM atuará em Salvador, Região Metropolitana e no interior do estado, empregando 20.473 mil profissionais e realizando radiopatrulhamento, patrulhamento a pé, serviço aéreo de urgência, policiamento turístico e montado, gerenciamento de crises e desastres, operações especiais de alto risco, ações de controle de tumulto e distúrbios públicos.

Presente em 185 postos elevados de observação, 42 portais de segurança, 31 postos de comando, oito bases especiais e nos 14 postos integrados, totalizando 289 postos nos três circuitos, a PM garantirá a segurança da folia desde o trajeto até os locais da festa até o retorno para casa.

O policiamento especializado estará presente através dos batalhões de Polícia de Choque (BPChq), de Operações Policiais Especiais (Bope), Especializado em Policiamento Turístico (Beptur), Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), de Polícia Rodoviária (BPRv). O Grupamento Aéreo, os esquadrões Águia e de Polícia Montada, as operações Gemeos, Apolo e Ronda Maria da Penha, as companhias independentes de Policiamento Especializado e Ambiental (Cipes e Coppa) também integram o esquema de segurança da festa.

Para atender os turistas, policiais militares habilitados em idiomas estrangeiros como inglês, espanhol, alemão, francês e italiano estarão à disposição, identificados com braçais correspondentes à língua, distribuídos nos circuitos da festa e também nas principais rotas de entrada da cidade: Porto Marítimo e Aeroporto Internacional de Salvador.

Os acessos aos pontos de entradas e saídas também serão monitorados por mais de 500 PMs por meio da ‘Operação Folia e Paz’ para garantir a ida e volta dos foliões em segurança.

Polícia Civil

Dois mil e quinhentos policiais civis, entre delegados, escrivães e investigadores compõem o quadro de policiais civis que atuarão no Carnaval 2018. A instituição conta ainda com o apoio de 500 digitadores no período, auxiliando o registro de ocorrências.

Os profissionais estarão distribuídos em 14 postos policiais integrados, sete centrais de flagrantes, quatro postos do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), quatro da Delegacia do Adolescente Infrator (DAI) e em três Delegacias Especiais de Área, além de um posto central.

Haverá reforço também nas delegacias territoriais dos Barris, Liberdade, Periperi, Rio Vermelho, Boca do Rio, Pau da Lima, Itapuã, Cajazeiras, Barra, Nordeste, Plataforma e nas unidades do Aeroporto e Rodoviária. O quadro de policiais também será intensificado nos postos do Hospital Geral do Estado, Hospital do Subúrbio, no Roberto Santos e Ernesto Simões.

Quem for curtir o Carnaval da Região Metropolitana também contará com um acréscimo de profissionais mas DTs de Madre de Deus, Itaparica, Simões Filho, Lauro de Freitas, Vera Cruz, Vilas do Abrantes, Portão, Salinas da Margarida e Praia do Forte.

As delegacias de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Dercca), do Adolescente Infrator (DAI), da Especial de Atendimento ao Idoso (Deati), de Proteção ao Turista (Deltur), de Proteção à Pessoa (DPP) e de Atendimento a Mulher (Deam/Brotas) oferecerão atendimento aos casos oriundos do circuito.

Profissionais dos departamentos de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) e de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) atuarão infiltrados circulando entre os foliões para capturar possíveis flagrantes de tráfico de entorpecentes e roubos ou furtos. Além disso, a Coordenação de Operações Especiais (COE) estarão em regime de plantão para situações de alto risco.

Já o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Coordenação de Polícia Interestadual (Polinter) intensificarão ações para localização de foragidos que poderão estar inseridos também nas festas carnavalescas.

Perdas e furtos podem ser registradas através da Delegacia Digital, proporcionando maior comodidade ao folião.

Corpo de Bombeiros Militar

Para realizar ações de prevenção e combate a incêndios, busca e salvamento (em mar e terra), atendimentos pré hospitalares e vistorias técnicas (realizadas em trios elétricos, camarotes, hotéis, pensões e pousadas e vias de evacuação), o Corpo de Bombeiros Militar empregará mais de 1700 servidores.

Nove Postos de Comando dos Bombeiros Militares (Pcbom), sendo um Posto de Comando do Grupamento Marítimo estarão situados nos circuitos Batatinha (um), Osmar (três) e Dodô (cinco).

Durante a folia serão disponibilizadas 22 viaturas: cinco de combate a incêndio, quatro de busca e salvamento, quatro de resgate aquático, quatro de atendimento pré hospitalar e cinco veículos de vistorias.

Polícia Técnica

O Departamento de Polícia Técnica irá dispor de 345 profissionais, entre peritos médicos, criminais e odontos legais, técnicos e corpo administrativo.

A instituição estará presente na festa com três postos integrados (Laboratório Central de Polícia Técnica, Institutos Médico Legal Nina Rodrigues e Identificação Pedro Mello), dois postos Avançados do Laboratório Central (LCPT), três unidades de perícia móvel e três equipes de pronta resposta.

Entre os serviços que estarão disponíveis nos circuitos estão exames de constatação de drogas de abuso (cocaína e maconha) com a utilização do Infravermelho Portátil RAMAN. Também serão realizados nos circuitos os exames de lesões corporais e identificação civil. Os laudos periciais poderão ser entregues in loco, em tempo real, possibilitando maior comodidade para a população.

Na sede do DPT, região dos Barris, todos os serviços funcionarão normalmente. Uma equipe de pronta resposta em Identificação de Vítimas de Desastres em Massa também ficará de plantão.

Notícias Relacionadas