Festa de Iemanjá transcorre com tranquilidade, segundo a polícia.

Além do presente principal, foram levados para o mar também cerca de 600 balaios com oferendas da multidão que esteve na Colônia de Pescadores nesta sexta. (Foto: SSP)

Desde a madrugada desta sexta-feira (02), quando os presentes para Yemanjá começam a ser colocados nos balaios, até 14 horas, a Delegacia Especial de Área (DEA) da Polícia Civil no Largo de Santana, montada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP), não tinha registrado nenhum delito grave, e somente seis boletins de ocorrência foram realizados por furto.

Pela primeira vez na lavagem, a estudante Thalia Nascimento, de 15 anos, considerou tranquilo o clima dos festejos. “Tô achando muito bonita a festa, e também estou vendo muitos policiais que são importantes para trazer segurança para todos nós”, disse.

Já a vendedora Maria Rita Santos, de 50 anos, que comercializa imagens e fitas alusivas a Yemanjá, elogiou o trabalho dos bombeiros, “Vi eles atendendo uma senhora que passou mal aqui na fila dos presentes, chegaram rápido e fizeram todo o atendimento”, relatou Maria.

De acordo com a delegada Quitéria Maria de Siqueira, responsável pela DEA o clima da festa é marcado pela tranquilidade. “Estamos prontos para auxiliar o cidadão caso seja necessário, e, atuando conjuntamente com a PM, para identificar criminosos e retirá-los de circulação”, explicou Quitéria.

Com 815 profissionais de segurança, entre policiais militares, civis e bombeiros, a SSP montou um esquema especial para a tradicional lavagem do Rio Vermelho. Além de três portais de abordagem, nove postos de observação elevados e três bases móveis de segurança, a PM realiza patrulhas com o objetivo de garantir que a festa ocorra sem violência.

Já o Corpo de Bombeiros conta com 133 profissionais distribuídos em patrulhas e postos distribuídos nas areias do Rio Vermelho, inclusive na praia do Buracão. “Até agora não tivemos nenhum atendimento de casos graves, só uma senhora que caiu nas pedras ao tentar jogar flores no mar”, disse o capitão BM Luciano Alves, subcomandante do Grupamento Marítimo.

Notícias Relacionadas