Violonista Vladimir Bomfim faz concerto no Instituto Cervantes dia 23

Vladimir Bomfim já teve o seu trabalho premiado nacional e internacionalmente. (Foto: Dayse Cardoso/Divulgação)

Uma viagem sonora ao universo mágico da música instrumental espanhola, traçando um panorama que vai desde o repertório renascentista até os “grandes clássicos”. Assim será o concerto que o instrumentista, compositor e arranjador baiano Vladimir Bomfim fará no dia 23 de novembro, quinta-feira, a partir das 20 horas, no teatro do Instituto Cervantes, na Ladeira da Barra. Ingressos a R$20 e R$10 (meia). Informações: 3797-4667.

Nesse passeio por cerca de 500 anos das principais estéticas musicais que habitaram a música na Espanha entre os séculos XVI e XX, Wladimir Bonfim retrata, com o seu violão, as principais influências da música espanhola, do profano ao litúrgico, como a cristalina e surpreendente sonoridade da polifonia renascentista, além da sensualidade impressionista de Manuel de Falla, entre outros marcos.

Vladimir Bomfim já teve o seu trabalho premiado nacional e internacionalmente. Entre 2000 e 2013, morou na França e na África, divulgando a música brasileira. Em produções com o teatro, dança e grandes formações, tais como a Ópera National de Strasbourg, Camará Ensemble e Orchestre Philharmonique de Strasbourg, trabalhou em colaboração com diversos compositores, diretores e intérpretes, como Aldo Brizzi, Gaël le Billan, Lia Robatto, Fernando Fiszbein, Jan-Lathan Koenig, Duo Robatto, Niel Beardmore, Sylvain Courtney, Philippe Mouratoglou e Ivan Fedele.

Foi membro fundador da Orquestra de Cordas Pinçadas da UFBA (1998) e coordenou junto ao NEOJIBA (Núcleo de Orquestras Infanto-Juvenis da Bahia) o núcleo da Orquestra de Cordas Dedilhadas. Como docente, lecionou em instituições como Universidade Federal da Bahia, e nas francesas École Agréée, Rayonnement Intercomunale du Sablon, École Municipal de Culture e Danse l’Atelier, Maison de La Jeunèsse et de la Culture de Lanueveville, além de ser regularmente convidado para compor bancas examinadoras de concursos diversos no Brasil e na França.

Vladimir realizou estudos interpretativos na UFBA, sob a orientação de Cristina Tourinho e Mario Ulloa, no Conservatoire National de Strasbourg (França, 2000-2004) sob a orientação de Pablo Marquez, no Conservatoire National de Metz (França, 2005-2012), no Conservatoire National de lÎle de La Réunion (África, 2010- 2011) sob a orientação de Luc Joly, estudando do erudito ao Jazz. Recentemente, obteve o título de mestre em performance pela UFBA sobre o tema “Catalogação e Difusão das Produções Violonísticas com Ênfase em Compositores Baianos”.

Notícias Relacionadas