“Invasão e destruição de fazenda no Oeste mostram desgoverno de Rui Costa”, diz Aleluia.

Assista: vídeo mostra as cenas do vandalismo

A invasão e a destruição das instalações da Lavoura e Pecuária Igarashi em Correntina, no Oeste, atestam o desgoverno em que vive a Bahia, sob o comando de Rui Costa, afirma o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) sobre as ações apontadas como ”criminosas de vândalos que, motivados por suposta denúncia de o empreendimento estar secando o Rio Arrojado”, arrebentaram cerca, atearam fogo, destruíram sistema de energia, maquinário e tratores e agrediram trabalhadores no último final de semana.

Aleluia: “A Bahia passa para o mundo a imagem de uma terra sem lei”

“O governador Rui Costa não pode ficar viajando à Cuba e deixar que o direito à propriedade seja ultrajado na Bahia, passando para o mundo a imagem de uma terra sem lei”, assinala Aleluia, observando ser uma falácia a denúncia de que o empreendimento estaria secando o Rio Arrojado, afluente do Rio Corrente. “A empresa estava operando com todas as licenças ambientais, concedidas por um órgão do estado: o Inema. E o Rio Arrojado continua a correr normalmente sem nenhum indicativo de que vá secar”.

De acordo com o presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Júlio Busato, a empresa Igarashi tem ourtorga do Inema para fazer uso de 20% da vazão do rio e utiliza apenas 10%. “O rio não vai secar. Isso é uma mentira deslavada. Não tem cabimento querer justificar esse crime dessa forma. O governo da Bahia tem que tomar providências e garantir o direito de propriedade em nossa região”. Para Busato, a destruição ao empreendimento foi motivada por questões ideológicas de grupos que são contra o agronegócio.

O presidente municipal do Democratas em Luís Eduardo Magalhães, Júnior Marabá, diz que a invasão e a destruição da Igarashi causaram revolta e indignação na região Oeste. “É inaceitável o que aconteceu: uma empresa que gera empregos e cumpre com suas obrigações tributárias e ambientais sofrer uma violência dessa natureza e o governador Rui Costa ficar omisso diante do caso”.

O deputado Aleluia aproveita para questionar se é assim, sem garantir o direito de propriedade, que Rui Costa está atraindo investidores para a abertura de novos negócios na Bahia. “Com certeza, não será em Cuba que Rui Costa vai aprender a respeitar o direito de propriedade. Muito pelo contrário. Ele precisa assumir seu papel de homem de estado e fazer cumprir imediatamente a lei na Bahia”.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + dezoito =