Lobby impede chip que reduziria furto de carros

CLÁUDIO HUMBERTO

O lobby das montadoras impede há dez anos a vigência de lei regulamentada em julho de 2007 pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que obriga a instalação de chip (de localização e rastreamento) nos carros vendidos no Brasil, como forma eficiente de acabar com o espantoso número de veículos furtados ou roubados todos os anos. As razões não são as mais nobres: há um “mercado de reposição” de mais de meio milhão de veículos roubados por ano.

Há um “mercado de reposição” de mais de meio milhão de veículos roubados por ano no país.

MERCADO LUCRATIVO
Somente em 2016 foram roubados e furtados no Brasil 557.000 veículos, 47.000 a mais que os 510.000 surrupiados em 2015.

LOBBY PREVALECE
Pela regulamentação, o chip deveria ser obrigatório a partir de agosto de 2009, mas o lobby da indústria sempre se impôs aos governos.

VENCENDO PELO CANSAÇO
Após vários adiamentos, o Contran marcou para janeiro de 2016 o início da obrigatoriedade do chip. Novamente o lobby foi mais forte.

ALEGAÇÕES RISÍVEIS
Após alegar que chip de R$ 10 encarece o carro, a indústria diz agora que “invade privacidade”. Tanto quanto chip de celular, faltou dizer. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 1 =