Sucateamento da Adab mostra omissão do governo na fiscalização de frigoríficos

Funcionários da Adab já fizeram várias manifestações mostrando o estado de sucateamento da agência. (Foto: AFA-BA – Divulgação)

Chegaram denúncias à Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia de que a Agência de Defesa Agropecuária (Adab) vem sendo sucateada e não tem realizado o trabalho de fiscalização em todos os frigoríficos do estado. A ausência de um número suficiente de profissionais e a decisão do setor de Inspeção de Produtos de Origem Animal, da Adab em retirar os incentivos das indústrias para que os fiscais realizem a inspeção no abate de carnes teria comprometido a atuação do órgão. Há um mês o governo estadual foi notificado pela Superintendência Federal de Agricultura do Estado sobre a situação estrutural em que se encontra a agência.

“Ao receber essa denúncia a Bancada apela por uma solução imediata, já que a presença do órgão é fundamental para que a carne chegue a mesa dos consumidores, passando pelo controle sanitário no abate. Qualquer irregularidade pode comprometer a saúde da população. O governo do estado deve uma explicação aos baianos sobre essa situação. É preciso que a Adab tenha mais fiscais para atuarem e esse trabalho continue sendo exercido”, afirmou o líder da Bancada, deputado Leur Lomanto Jr.

A Oposição teve acesso a uma notificação enviada ao governador Rui Costa (PT), com data de 26 de setembro, em que a Superintendência federal alerta para a atual fragilidade da Adab, nas ações de prevenção, controle e erradicação de doenças animais, pondo em risco a saúde dos consumidores. Foi lembrado que a Bahia era referência em defesa agropecuária no país, com um quadro de quase dois mil servidores. Entretanto, esse cenário mudou a partir de 2010 com a desestruturação do órgão, causada pela queda vertiginosa de funcionários e pela nomeação de pessoas sem qualificação técnica para enfrentar as emergências sanitárias, além da diminuição dos recursos.

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − quatro =