Reforma política deve apenas proibir coligações

CLÁUDIO HUMBERTO

O governo Temer avalia que pode contar com o apoio de 280 a 285 dos 308 votos necessários para aprovar a proposta de emenda à Constituição da reforma política, que deve ser votada na próxima terça (5). Sem os votos necessários, o governo adiou a votação da PEC 282, que deve se limitar a temas consensuais, como o fim das coligações. O financiamento de campanha é o ponto que mais preocupa e divide.

Na reforma política, o PSDB tem sido o maior adversário do governo na Câmara.   (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Na reforma política, o PSDB tem sido o maior adversário do governo na Câmara. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

PEC DO PT NO LIXO
A outra PEC (nº 77) da reforma política, relatada por Vicente Cândido (PT-SP), não tem chance de ser aprovada.

TUCANOS ATRAPALHAM
Na reforma política, o PSDB tem sido o maior adversário do governo na Câmara. Insiste no distritão e, claro, no fundão de R$3,6 bilhões.

CONSENSO
Apesar de reconhecer que não há clima na Câmara para aprovar o fundão eleitoral bilionário, os deputados não desistiram da ideia.

SUPREMA SIMPLICIDADE
A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, orgulha os cidadãos que sempre a encontram numa padaria no bairro do Lago Sul, em Brasília, comprando pão. Sem escolta ou seguranças. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas