Geddel Vieira Lima vira réu por atrapalhar e obstruir justiça

O ex-ministro Geddel Vieira Lima chora ao ser  ouvido pelo juiz Vallisney Oliveira durante audiência de custódia (Arquivo/Reprodução/Justiça Federal)
O ex-ministro Geddel Vieira Lima chora ao ser ouvido pelo juiz Vallisney Oliveira durante audiência de custódia (Arquivo/Reprodução/Justiça Federal)

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, recebeu nesta terça-feira denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o transformou em réu. Ele será investigado em uma ação penal pelo crime de obstrução de justiça. Ele é suspeito de ter tentado impedir que o lobista Lúcio Funaro firmasse acordo de delação premiada. Nos depoimentos, Funaro poderia incriminar Geddel em um esquema fraudulento na Caixa Econômica Federal. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (23) pelo jornal O Globo.

Na denúncia apresentada à Justiça Federal, o Ministério Público afirma que Geddel teria tentado atrapalhar a Operação Cui Bono, que apura fraudes na liberação de crédito da Caixa, de onde o ex-ministro foi vice-presidente de Pessoa Jurídica entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff.

Segundo o Ministério Público, em um mês e meio, Geddel fez 17 ligações para a mulher de Funaro, Raquel Pita, com o objetivo de sondar se ele faria um acordo de delação premiada. A denúncia afirma que o ex-ministro tinha a intenção de intimidar o casal. “Com ligações alegadamente amigáveis, (Geddel) intimidava indiretamente o custodiado, na tentativa de impedir ou, ao menos, retardar a colaboração de Lúcio Funaro com os órgãos investigativos Ministério Público Federal e Polícia Federal”, diz a denúncia.

Fonte: O Globo

Notícias Relacionadas