Combate ao fumo: NOB promove evento aberto ao público no dia 29

O cigarro é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão, o tumor maligno mais comum em todo mundo (Foto: Reprodução)
O cigarro é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão, o tumor maligno mais comum em todo mundo (Foto: Reprodução)

Ao inalar um cigarro, o fumante absorve mais de 4.700 substâncias nocivas à saúde, sendo 43 cancerígenas. Com a Campanha “E se eu parar de fumar?”, o NOB (Núcleo de Oncologia da Bahia) e o Grupo Oncoclínicas pretendem conscientizar a população sobre os benefícios – para a saúde e para o bolso – que um pessoa conquista ao parar de fumar. Através do hotsite http://www.seeuparardefumar.com.br/ e das redes sociais, uma calculadora virtual mostra quanto a pessoa pode economizar ao deixar de fumar, transformando essa economia em sonhos de consumo, e quais os benefícios à saúde que um ex-fumante adquire imediatamente ou anos após deixar o vício. Em 20 minutos a pressão arterial e a frequência do pulso voltam ao normal. Em 2 horas não há mais nicotina circulante no sangue. Em 1 ano o risco de doenças ligadas aos males do coração, como infarto, cai pela metade.

No dia 29 de agosto, quando se comemora o Dia Nacional de Combate ao Fumo, o NOB promove um debate multidisciplinar e interativo, aberto ao público, no Yacht Clube da Bahia, às 8h30, com o tema “Parar de Fumar – Aposte nessa ideia”. O evento é coordenado pela oncologista Samira Mascarenhas, da equipe do NOB, e vai contar com a participação de médicos de outras especialidades, nutricionista e psicóloga. O cigarro é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão, o tumor maligno mais comum em todo mundo e um dos mais letais. No Brasil, o INCA estima 28.220 novos casos de câncer de pulmão para 2017.

Mesmo após tomar a decisão de se parar de fumar, é fundamental que a pessoa acompanhe a saúde. Os males oriundos do fumo são inúmeros e a detecção precoce é o melhor caminho para uma vida com mais qualidade. O rastreamento do câncer de pulmão reduz em 20% a mortalidade por este tipo de tumor ao identificar a doença em sua fase inicial. Os exames de rastreamento são indicados para pacientes fumantes, de 55 a 74 anos, que fumam 30 maços por ano ou que pararam de fumar há menos de 15 anos. A cirurgia minimamente invasiva (cirurgia torácica videoassistida) oferece tratamento adequado do câncer de pulmão localizado, com rápida recuperação, sendo possível o tratamento de pacientes mais idosos e com graus variados de comprometimento da função pulmonar. Os novos tratamento com drogas-alvo e a imunoterapia são exemplos dos avanços recentes no tratamento do paciente com câncer de pulmão avançado, oferecendo ao paciente melhora significativa em sua qualidade de vida.

Notícias Relacionadas