PMDB deve punir ‘traição’ do partido em Sergipe

CLÁUDIO HUMBERTO

A direção nacional do PMDB garante que não vai deixar barato a “pulada de cerca” do partido em Sergipe, onde dirigentes locais, com o governador Jackson Barreto à frente, bajularam Lula mais que o próprio PT, na visita eleitoral do petista condenado por corrupção. Em Sergipe, num primeiro momento, poderá haver intervenção na executiva estadual. Mas, antes, o PMDB decidiu concluir o processo disciplinar que pode resultar na expulsão de Kátia Abreu e Roberto Requião.

pmdb-marca

PODEMOS CAIR FORA
Paparicado, Lula retribuiu chamando Jackson Barreto de “companheiro fiel”. “Temos uma história juntos”, afagou o governador.

APARATO DE SEGURANÇA
Jackson Barreto colocou a proteção a Lula um aparato de segurança que os sergipanos gostariam muito de ver nas ruas.

TRAIR E COÇAR…
…é só começar: a próxima “pulada de cerca” será em Alagoas, com os Renans, pai e filho, ciceroneando o petista condenado por corrupção.

PREPARE O SEU BOLSO
Pelo projeto de reforma política, que pode ser votado nesta terça (22), os R$ 3,6 bilhões do “fundão” serão distribuídos a cada dois anos entre os partidos políticos. Ou seja, R$ 7,2 bilhões por legislatura.

PODE SER MAIOR (E PIOR)
O relator petista Vicente alega candidamente que o “fundão” não custará R$3,6 bilhões e sim 0,5% da receita corrente líquida, dinheiro dos impostos. O valor que pode chegar aos R$4 bilhões em 2018. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas