Prefeitura de Cairu proíbe empresa de operar ilegalmente em Morro de São Paulo

O passeio marítimo em Morro de São Paulo é operado há décadas por marítimos  da Ilha de Tinharé, com fiscalização da Capitania dos Portos. Mas agora uma empresa de turismo acha que esses profissionais não são capacitados para navegar. (Foto: Reprodução)
O passeio marítimo em Morro de São Paulo é operado há décadas por marítimos da Ilha de Tinharé, com fiscalização da Capitania dos Portos. Mas agora uma empresa de turismo acha que esses profissionais não são capacitados para navegar. (Foto: Reprodução)

REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

A Câmara dos Vereadores de Cairu, no Baixo Sul da Bahia, decidiu, por unanimidade, aprovar uma moção de repúdio à empresa Cassi Turismo que, sem autorização da Prefeitura, vem tentando operar de forma ilegal o passeio marítimo na ilha de Tinharé, em prejuízo dos operadores locais. Já a Prefeitura de Cairu decidiu notificar e proibir a operadora em fazer o passeio por considerar a iniciativa ilegal.

A moção de repúdio da Câmara e a decisão da Prefeitura de Cairu foram anunciadas após a manifestação recente dos operadores marítimos do município, que fizeram protesto no Terminal de Morro de São Paulo e em frente ao escritório da Cassi Turismo, conforme divulgou o JORNAL DA MÍDIA. A manifestação foi promovida pela Associação dos Proprietários de Lanchas do Passeio da Ilha de Tinharé (APLPIP).

A Cassi Turismo também é acusada pela Astramab (Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia) de operar de formal ilegal e totalmente irregular, desde 2013, o transporte entre Salvador e o Morro de São Paulo. A Cassi, segundo os cartazes de divulgação espalhados em Morro de São Paulo e em Salvador, vem anunciando que ampliou a ”grade de horários” da ”linha” entre a capital e a Ilha de Tinharé, que seria uma atribuição, na verdade, da Agerba, que não se manifestou. A U

A moção de repúdio contra a Cassi Turismo foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores de Cairu. Os vereadores consideraram ilegal os transfer e passeio, que é regulmentado pela Prefeitura Municipal.
A moção de repúdio contra a Cassi Turismo foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores de Cairu. Os vereadores consideraram ilegal os transfer e o passeio da Cassi. A atividade é regulamentada pela Prefeitura Municipal.

Clima Esquentou – Além dos protestos e manifestações, o clima em Morro de São Paulo ficou ainda mais tenso depois que os marítimos tiveram acesso a um vídeo em que o dono da Cassi Turismo aparece se referindo a alguns deles como ”pessoas ignorantes” e que não têm o ”domínio do português”. E mais ainda, quando nos cartazes promocionais da Cassi, eles, os marítimos, são acusados de ”inabilidade para navegar” e de completarem a lotação dos barcos que fazem o passeio com turistas, ”com amigos que costumam se exceder no consumo de bebidas alcoólicas”.

Segundo a APLPIP, os marítimos já operam no passeio na Ilha de Tinharé, que é regulamentado pela Prefeitura de Cairu e não pela Agerba, há mais de 30 anos. “São nativos, conhecem como ninguém todas as características dos rios e de toda a área marítima englobada pelo passeio turístico”. Além disso, os marítimos são fiscalizados pela Capitania dos Portos, o mesmo acontecendo com todas as embarcações que operam no tour.

Nos cartazes promocionais dirigidos aos turistas, o texto da empresa Cassi acusa os marítimos de Morro de São Paulo de inabilidade para navegar, excesso de velocidade, falta de combustível em alto mar e até excesso de consumo de álcool por "amigos" dos marítimos embarcados junto com turistas.
Nos cartazes promocionais dirigidos aos turistas, o texto da empresa Cassi acusa os marítimos de Morro de São Paulo de inabilidade para navegar, excesso de velocidade, falta de combustível em alto mar e até excesso de consumo de álcool por “amigos” dos marítimos embarcados junto com turistas.

Leia Também:

jjjjj-88888

Notícias Relacionadas

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 2 =