Emenda que pode livrar Lula ainda emperra reforma

CLÁUDIO HUMBERTO

Artigo apresentado – e depois retirado – pelo relator da reforma política, Vicente Cândido (PT-SP), alteraria a lei e impediria que candidatos fossem presos desde até 8 meses antes das eleições. Hoje a prisão só é proibida apenas com 15 dias de antecedência. Para Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara, a jabuticaba virou a “Emenda Lula” e “tem o intuito de salvar criminosos”. Apesar de “ter sido retirada”, a emenda Lula consta no relatório parcial nº 3. O nº 4 ainda não foi apresentado.

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva   (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

ORDEM DADA É CUMPRIDA
No último dia 1º, Cândido disse: “Saí com Lula e ele disse: ‘Já que a emenda é minha, faço com ela o que quiser. Retire-a’”. Ele obedeceu.

PRISÃO IMINENTE
O ex-presidente Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso tríplex no Guarujá.

FLAGRANTE
O artigo 236 do Código Eleitoral impede a prisão de candidatos a duas semanas da eleição, salvo aqueles que forem pegos em flagrantes.

LAMBUZADO E PROTEGIDO
Para o senador Magno Malta (PR-ES), “está na cara” que a emenda é para proteger aqueles que “se lambuzaram dos recursos públicos”. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas