Vitória joga bem e arranca empate no Mineirão contra o Cruzeiro

Sassá deu uma entrada feia em Ramon e levou cartão amarelo (Foto: Imagem TV/Reprodução)
Sassá deu uma entrada feia no tornozelo em Ramon e levou cartão amarelo (Foto: Imagem TV/Reprodução)

O Vitória conseguiu, com muita raça, um bom resultado fora de casa, ao empatar em 0 a 0 com o Cruzeiro, no Mineirão, pela 17ª Rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo marcou a reestreia de Wagner Mancini no comando do time baiano, que teve outra postura em campo, bem diferente dos últimos jogos.

O Leão da Bahia ainda reclamou de uma penalidade, que pareceu clara, cometida por Ariel Cabral, no primeiro tempo, desviando com o braço uma cruzamento do lateral Caique. Com o resultado, o time baiano segue como vice-lanterna da competição, com 13 pontos, enquanto o Cruzeiro é o nono, com 23. Os times voltam a jogar no meio da semana. Quarta-feira, às 21h (de Brasília), o Vitória recebe a Ponte Preta, no Barradão. O Cruzeiro joga quinta, às 20h, contra o Vasco, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

A partida começou muito disputada, com o Vitória exercendo uma forte marcação no meio-campo, na tentativa de evitar a criação das jogadas ofensivas do Cruzeiro. A equipe celeste passou a tocar mais a bola e buscar os espaços na defesa, especialmente pelos lados do campo, como fez Thiago Neves. O camisa 30 cinco estrelas driblou dois marcadores e tocou para Elber, que chutou forte, à direita do gol.

Aos 18, Rafael Sobis tabelou com Sassá e chutou forte, com muito perigo, à direita do gol de Fernando Miguel. O time baiano respondeu logo depois, com Santiago Tréllez, que recebeu lançamento de Kanu e chutou de primeira, longe do gol de Fábio. Superior em campo, o Cruzeiro teve a melhor chance para marcar até então aos 26, em jogada de Diogo Barbosa. O lateral recebeu lançamento e cruzou na medida para Thiago Neves, que cabeceou para o gol, mas Fernando Miguel defendeu.

Nos minutos finais do primeiro tempo, o técnico Mano Menezes teve que fazer duas substituições, colocando Rafinha e Murilo Cerqueira nos lugares de Elber e Manoel. O meia levou uma pancada na cabeça em uma disputa de bola com Wallace e o zagueiro deixou o campo com dor no pé esquerdo.

O jogo cresceu em emoção nos acréscimos, com as duas equipes criando chances de gol. A primeira delas foi do Vitória, em contra-ataque que terminou com um chute de Tréllez na saída de Fábio. O goleiro estrelado fez grande defesa. Na sequência, o Cruzeiro só não inaugurou o placar por causa de importante defesa de Fernando Miguel, em um chute praticamente à queima-roupa de Rafinha.

Pressão – O Vitória iniciou a etapa final com a marcação adiantada e, em um contra-ataque, aos 10 minutos, obrigou Fábio a fazer outra difícil defesa, em chute de Deivid.

Passado o susto, o Cruzeiro criou duas oportunidades de gol, em um chute de Rafinha, que Fernando Miguel defendeu, e principalmente com Sassá, que recebeu passe dentro da área, mas finalizou acima do gol. O Cruzeiro pressionava em busca da vitória enquanto o adversário passou a se fechar completamente na defesa, tentando segurar o empate.

O time baiano perdeu boa chance aos 46 minutos do segundo tempo, com David limpando do marcador mas chutando longe do gol.

CRUZEIRO 0 X 0 VITÓRIA

Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Léo, Manoel (Murilo Cerqueira) e Diogo Barbosa; Henrique, Ariel Cabral, Elber (Rafinha) e Rafael Sobis; Thiago Neves e Sassá (Raniel)
Técnico: Mano Menezes

Vitória: Fernando Miguel; Caíque Sá, Kanu, Wallace e Juninho; Ramon (Cleiton Xavier), Uillian Correia, Carlos Eduardo (Renê Santos) e Yago (Patrick); David e Tréllez
Técnico: Vagner Mancini

Notícias Relacionadas