Venda da Petrobras argentina vai parar na Lava Jato

CLÁUDIO HUMBERTO

Após a prisão de Aldemir Bendine, chama atenção na Lava Jato a venda da Petrobras Argentina a preço de banana, em 13 de maio de 2016, dia seguinte ao impeachment de Dilma, quando ele presidia a Petrobras. A Pampa Energia, de Marcelo Mindlin, levou 30 blocos exploratórios, quase 300 postos, e parte de térmica, hidrelétrica e petroquímicas, por apenas US$897 milhões em “negociação exclusiva”.

Venda da Petrobras argentina foi a preço de banana
Venda da Petrobras argentina foi a preço de banana

PREJUÍZO BILIONÁRIO
A Justiça Federal do Rio de Janeiro acatou em outubro ação popular para apurar o prejuízo à Petrobras, estimado em R$ 3,2 bilhões.

AUDIÊNCIA PÚBLICA
A Câmara dos Deputados marcou para 16 de agosto audiência pública para discutir a venda suspeitíssima da Petrobras Argentina.

ARGENTINA INVESTIGA
A Pampa Energia foi alvo, em maio, de busca e apreensão por ordem da Justiça argentina, que também investiga a venda dos ativos.

O COMPRADOR
Marcelo Mindlin, da Pampa, é muito ligado a Cristina Kirchner, ex-presidente argentina muito amiga de Dilma Rousseff. (Coluna de Cláudio Humberto. Clique AQUI e leia mais).

Notícias Relacionadas